Recentemente The Flash revelou um dos grandes mistérios da temporada ao desvendar a identidade de Zoom, antes de se preparar para um hiato de um mês. Embora vá tomar mais ou menos o mesmo tempo de folga, Arrow não tomou o mesmo cuidado com o seu episódio pré-hiato, exibido nesta quarta (24) nos EUA, embora a vida de uma criança tenha sido salva e um vilão da semana tenha sido derrotado no processo – mas mesmo assim esses eventos heroicos pareceram ressoar menos do que deveriam no todo da trama.

A salvação do último episódio foi Vixen, interpretada por Megalyn Echikunwoke, cujos heroicos atos dão combustível ao episódio. Anteriormente introduzida na série animada batizada com o seu nome, distribuída exclusivamente online, a Vixen tem a incrível habilidade de emprestar poderes do reino animal, e esse poder, diferente daqueles apresentados pelo restante do time de heróis da série, os levou até o covil do seu nêmesis, até a desativação da energia desse inimigo, e até ao resgate de uma criança inocente que havia sido sequestrada.

As cenas de flashback dessa semana nos ofereceram alguns dos momentos mais intrigantes do episódio, mesmo que tenham deixado os espectadores se perguntando o que diabos estava acontecendo naquela ilha. Os prisioneiros de Reiter conseguem escapar do cativeiro e acabam em uma caverna em que a energia negra emanando é capaz de ressuscitar o recentemente morto Conklin. Estranhamente, Conklin é capaz de falar nossa língua, e suas reflexões absurdas e apocalípticas se parecem com os delírios de um louco – apesar disso, ele parece ser um tipo de “guardião”, visto que ele barra a passagem de Olvier para a compleição de sua fuga.


A principal linha de trama desse episódio de Arrow, contanto, deixou muito a desejar no sentido que se guiou por cenas em que o relacionamento de Oliver e Felicity é esclarecido, mas mesmo assim negligenciou momentos alguns dos melhores elementos da temporada. Como seu título explica, o episódio, “Taken” (Levado) gira em torno do sequestro do filho de Oliver por Damien Darhk, o que causa a confissão de Ollie, para todo mundo, de que sim, ele tem um filho. Uma vez que a mãe do menino, Samantha, aparece na trama, fica claro que Oliver manteve esse segredo de todos os seus amigos, uma atitude pela qual Samantha toma a culpa rapidamente.

Em geral, o herói Oliver Queen teve um mau momento essa semana, com seu filho sendo sequestrado por um vilão que ele enfrentou múltiplas vezes, nunca o derrotando. A frustração e a pressão levam Oliver a desistir de sua campanha como prefeito, e a apoiar Ruvé Adams, esposa do vilão Damien Darhk, um fato desconhecido por Olllie.

Com a ajuda da Vixen, nosso herói encontra o paradeiro de Damien Darhk, mesmo sabendo que o vilão pode prever o ataque e se mover para outro lugar, o que leva a personagem a sugerir agora, na metade da temporada, que Oliver e companhia podem transmitir as coordenadas de Damien através do totem que o vilão usa para “originar” seu poder.

A segunda batalha de Oliver e companhia com Damien acaba sendo mais empolgante que a primeira, com Vixen sendo novamente o destaque conforme usa seus poderes para destruir o objeto que dá a Darhk o seu poder. Com essa nefasta relíquia destruída, é mais fácil para Arrow filmar a derrocada do vilão.

Oliver resolve seguir os conselhos de Mari e tenta se afastar para dar a William uma infância normal. Ele grava uma mensagem para seu filho, a fim de explica-lo sobre sua identidade secreta. Conforme Samantha se muda da cidade, é provável que não vejamos ela por um bom tempo nas próximas temporadas. A maior surpresa do episódio é que o responsável pelo sequestro de William não é diretamente Darhk, mas sim Malcolm Merlyn – mas Oliver deixa Thea lidar com esse problema.

Ao mesmo tempo, a maior consequência emocional teve a ver com Felicity declarando que precisa de um tempo em seu relacionamento com Ollie, e devolvendo a ele o seu anel de noivado. É uma montanha-russa emocional que o nosso protagonista enfrenta nesse episódio, e mesmo que Stephen Ammell tenha feito u m bom trabalho, esse não pareceu um episódio bem balanceado.

O lado “novela” de Arrow ficou mais à mostra, e os elementos de ação não compensaram, mesmo que a Vixen tenha sido uma boa adição ao episódio. Parece que teremos que ajustar nossas expectativas e aguardar a resoluções de mistérios mais legais em The Flash.