Atenção para spoilers da série!

“This Ball of Mud and Meanness”, o 14º episódio da segunda temporada de Gotham, começa com uma genuinamente estranha cena de delírio, em que Pinguim se vê amarrado em uma cadeira e sua mãe tenta o alimentar como se ele ainda estivesse na infância.

Um segundo Pinguim aparece atrás da Sra. Cobblepot, e a mata com um taco de beisebol – quando Oswald acorda em sua cela no Arkham, o Dr. Hugo Strange aplica o que ele chama de “teste do sorvete”, servindo uma bola de sorvete para Pinguim enquanto seu colega de cela não recebe nenhuma. O outro prisioneiro fica irado com o privilégio de Pinguim, mas o ex-rei de Gotham responde apenas se enrolando em posição fetal.


Em uma cena mais no final do episódio, Oswald passa por um segundo teste, resistindo ao impulso de se vingar do mesmo homem que o atacou por conta do sorvete. Strange diz que Pinguim está pronto para ser liberado, e que agora é um homem são, mas sua assistente parece relutante. Strange manda-a ficar quieta, dizendo que tem outros planos para Oswald do lado de fora do manicômio.

O crítico do AVClub sentiu que esse subplot envolvendo o personagem de Robin Lord Taylor serve a poucos propósitos no momento atual da série. Segundo ele, ao invés de ir fundo na psicologia do Pinguim ou mesmo na natureza perturbadora dos experimentos do Dr. Strange, Gotham prefere flertar com os seus elementos mais estranhos em um par de cenas construídas com o único propósito de fazer referência ao cânone de personagens do Batman e mostrar que o Strange de Gotham também é “um pouco maluco”.

Enquanto isso, Bruce Wayne e Alfred partem para encontrar Matches Malone, o responsável pelo assassinato dos Wayne. Bruce recebe uma arma de Selina, e embora hesitante, segue com o mordomo encontrar um dos antigos parceiros de Matches – depois de muita confusão, Alfred precisa partir para a briga física com o tal criminoso a fim de conseguir a informação de que precisam. Assim que Alfred vence a luta, ele e Bruce são instruídos a procurar Jerri no Celestial Gardens, mas o mordomo acaba desmaiando graças aos ferimentos da luta.

Com Alfred no hospital, Bruce aproveita para ir atrás de Jerri (e de Matches) sozinho, e o mordomo avisa Gordon e Bullock do paradeiro do garoto assim que retoma a consciência. Logo, todos partem para o Celestial Gardens, uma boate assustadora com projeções nas paredes retratando os atos dos Maniax, grupo de Jerome e companhia. Muitas pessoas ao redor da boate, incluindo Jerri (Lori Petty, a Lolly de Orange is the New Black), usam maquiagem inspirada em Jerome e, claro, no Coringa, o que só prova que a herança do pequeno psicopata está muito viva em Gotham City.

Jerri colabora mais do que o esperado, contando para Bruce o paradeiro de seu ex-parceiro de crime assim que o garoto lhe diz que tem uma arma. Quando Bruce a pergunta o motivo dessa facilidade, a resposta vem rápida e fatal: “Matches vai ficar feliz em te ver. Você, meu garoto, é a mão do destino. E isso me faz Deus, de uma forma estranha, não é? E quem não gosta de brincar de ser Deus?”.

Saindo da boate, Bruce vê Gordon mas não concorda em entregar o endereço de Matches para ele. Ajudado por Jerri, ele escapa da boate sem que Gordon consiga alcança-lo – o detetive prende Jerri e a interroga, tentando fazê-la entregar o paradeiro do menino, o que leva um bom tempo. Enquanto isso, Bruce chega ao apartamento de Matches e tenta o enganar, dizendo que está ali para contratá-lo para um trabalho – Bruce descobre que o assassino de seus pais cobra US$10 mil para cada morte, o dobro para mulheres, e o triplo para crianças.

Quando o garoto finalmente conta à Matches suas verdadeiras intenções, o assassino de aluguel não parece surpreso nem assustado. Ele recebe a morte de braços abertos, com Bruce apontando uma arma para a sua cabeça, e se recusa a dizer o nome de quem o contratou para matar os Wayne. Bruce decide que não é capaz de mata-lo e deixa a arma na mesa, saindo do apartamento. Quando Gordon chega e se encontra com o menino, já é tarde demais para prender Matches – o assassino desferiu um tiro contra a própria cabeça.

Quando Alfred chega na mansão Wayne e não encontra Bruce, descobrimos que o futuro Batman foi viver nas ruas com Selina, uma decisão motivada pela vontade de conhecer o mal e a violência em primeira mão, para poder combate-los. Ou pelo menos é isso que o garoto diz no bilhete que deixa para trás, soando como o verdadeiro Batman soaria.

Além de tudo isso, o episódio ainda acha tempo para uma terceira subtrama envolvendo Ed e Gordon, e mais especificamente o detetive começando a ir mais fundo no “desaparecimento” de Kristen Kringle, graças a uma expressão de preocupação por parte da Dra. Thompkins, com quem o detetive ainda não acertou todas as pontas. Se sentindo acuado e ouriçado, Ed se torna hostil frente a Gordon, e terminamos o episódio com o personagem começando a bolar planos, e um ponto de interrogação verde bem grande à vista. Será que estamos a caminho da nova encarnação do Charada?

Apesar das críticas do jornalista do AVClub, a escritora da EW se viu empolgada com os rumos que a série está tomando, especialmente no sentido que a trama está avançando sem muitos impedimentos pelo caminho, e ainda disse que “This Ball of Mud and Meanness” tem uma tema muito específico: mudanças. Vemos Ed se aproximar aos poucos do seu eu mais delirante, Bruce lidar com realidades que nunca teve que encarar antes, e o Pinguim passando por momentos que são, no mínimo transformadores.

Veja o trailer do próximo episódio, “Mad Grey Dawn”: