O Observatório do Cinema está destrinchando em uma série especial os heróis da Marvel que farão participações em Capitão América: Guerra Civil, novo filme da editora, e que chega aos cinemas brasileiros no dia 28 de Abril. Falaremos da história desses personagens nos quadrinhos, e do papel que eles irão cumprir no universo cinematográfico da Marvel, além dos atores e atrizes que encarnarão os personagens.

Depois de Pantera Negra e Viúva Negra, hoje é a vez de falarmos de Bucky Barnes, o Soldado Invernal:

537bca868687c


O personagem

A história do Soldado Invernal nos quadrinhos é um pouco diferente daquela que testemunhamos nos filmes da Marvel. A primeira aparição de Bucky Barnes, ainda sem o pseudônimo que ganhou de seus captores soviéticos, foi em 1941 (sim, você leu certo). Da forma que foi criado por Joe Simon e Jack Kirby, Bucky era simplesmente um parceiro adolescente do Capitão América. Publicada de forma inconstante durante muitas décadas, as aventuras do Capitão só explicaram de fato a história e a origem de Bucky em 2005, em uma série assinada por Ed Brubaker e Steve Epting, que fizeram o Capitão descobrir que o seu antigo parceiro de guerra, após uma missão catastrófica em que Bucky foi dado como morto, na verdade havia sido encontrado por agentes soviéticos, treinado e psicologicamente condicionado como um assassino implacável pelos interesses da Mãe Rússia.

Apesar de ser um personagem relativamente recente da Marvel, portanto (pelo menos em sua encarnação atual, “revivida”), o Soldado Invernal rapidamente se tornou parte importante do universo da editora, especialmente depois dos eventos de Guerra Civil, quando acabou assumindo o manto de Capitão América depois da morte de Steve (lembre-se que isso é o que ocorre nos quadrinhos, não garantimos que é o que vá rolar no filme). O Soldado Invernal teve um romance curto com a Viúva Negra em certo ponto das publicações, e frequentemente enfrenta inimigos como a Pecado, filha do Caveira Vermelha. Atualmente, ele trabalha ao lado de Nick Fury protegendo a Terra de ameaças alienígenas.

capitaoamericabucky

O papel de Bucky Barnes nos filmes

Sebastian Stan assinou um contrato impressionante de nove filmes (!) com a Marvel Studios, e por enquanto só esteve nas três aventuras do Capitão (incluindo o vindouro Guerra Civil, claro). Espere ver Bucky Barnes por perto ainda por muito tempo, portanto, e o contrato extenso indica que a Marvel tem planos grandes para ele também – começando sua recuperação de memórias e recondicionamento após escapar do programa que o transformou no Soldado Invernal, Bucky e a relação dele com Steve devem ser uma das chaves de Guerra Civil, especialmente porque Rogers procura defender o amigo da Justiça, que o persegue graças ao que ele fez enquanto assumia a identidade do Soldado Invernal.

No trailer e nas fotos, vemos Bucky como parte do time do Capitão, o que faz sentido, mas só depois de uma jornada importante em que o personagem precisa se desprender de décadas de doutrinamento e entender seu papel nesse conflito e seu passado como parceiro do Capitão. Esse é um dos elementos que provavelmente serão mais interessantes no filme dos Irmãos Russo, que sempre definem Guerra Civil como “um thriller psicológico” – nada mais apropriado para a jornada de Bucky, não é? E a perspectiva do personagem futuramente assumindo o escudo do Capitão também o coloca como um personagem importante de se acompanhar.

sebastian-stan

O intérprete: Sebastian Stan

A Marvel tem um bom olho para astros em ascensão com um potencial dramático pronto para ser explorado, e Sebastian Stan não é diferente. Antes de ser escalado como Bucky Barnes, o ator romeno havia se destacado em papéis como a comédia A Ressaca e a série Gossip Girl. Ele aproveitou a fama súbita como um legítimo integrante do universo Marvel para conseguir trabalhos como a prestigiada minissérie Political Animals, na qual interpretou o filho gay e festeiro de uma candidata a presidente (Sigourney Weaver).

Seletivo com os seus papéis, Stan ainda participou de Once Upon a Time e interpretou um dos filhos de Meryl Streep e Kevin Kline no bom Ricki and the Flash, em que a queridinha do Oscar faz uma rock-star tentando se reconectar com a família. Já em Perdido em Marte, ele se misturou a uma tripulação espacial que incluía Michael Peña, Kate Mara e Jessica Chastain. Seu próximo projeto é um filme para TV, acreditem ou não, mas com o gabarito do diretor Jonathan Levine (50%) – intitulado I’m Dying Up Here, o filme coloca Stan como um comediante tentando fazer sucesso na Los Angeles de 1970.

Capitão América 3 | “O Homem-Aranha rouba a cena”, dizem as primeiras críticas