ATENÇÃO PARA SPOILERS A SEGUIR!

O episódio de The Walking Dead deste domingo (27), intitulado “Swear” (7×06), nos mostrou mais um ângulo diferente da situação do momento para os sobreviventes, mostrando que a estratégia de The Walking Dead de cobrir um personagem/cenário por episódio não vai embora tão cedo – tem sido interessante ver essa fragmentação e a forma como a série mergulha mais profundamente do que nunca nos personagens.

Dessa vez, encontramos Tara em uma praia, machucada mas ainda viva, quando é resgatada por duas garotas que acharam a princípio que ela era um zumbi – mas precisamos saber como ela chegou lá, e o episódio nos leva para um momento entre Tara e Heath em seu trailer, com todas as armas, remédios e comida que eles roubaram de várias comunidades. Entre elas, as armas dos Salvadores, com um desenho de Lucille gravado nelas.


De volta à praia, Tara acorda e encontra alguns itens que Cyndie, uma das moças que a encontrou, deixou para ela. Ao ver Cyndie escapando antes dela acordar, Tara a segue pela floresta e descobre que sua salvadora mora em uma comunidade só de mulheres – no entanto, quanto Tara se aproxima alguma espécie de alarme soa e todas começam a atirar em sua direção. Aparentemente, como de costume em The Walking Dead, essa não é uma comunidade amigável.

Interrogatório

No passado, vemos Tara e Heath encontrando uma comunidade abandonada e procurando por suprimentos quando um grupo volumoso de zumbis os cerca por todos os lados – a única opção de Heath é fugir e deixar Tara para trás. Enquanto isso, na comunidade chamada Oceanside, Tara é interrogada e descobrimos que as mulheres deste grupo de sobrevivente costumam matar estranhos, mas tem a sorte de viver em um local isolado com poucos zumbis – no entanto, a gentileza de Cyndie com essa estrangeira se prova contagiosa, e logo Tara está jantando com as mulheres de Oceanside, em uma inconsistência bizarra que deveria ter deixado qualquer espectador de The Walking Dead desconfiado.

As mulheres contam a história da comunidade para Tara: um grupo misterioso os atacou e matou todos os homens, o que levou à mentalidade agressiva das moças, que se mantem “escondidas e vivas”, como define a líder Natania. Quando Tara conta sobre a segurança de Alexandria, ainda achando que eles haviam matado todos os Salvadores antes dos eventos do último episódio da sexta temporada, Natania permite que um membro de sua comunidade vá com Tara procurar por Heath e encontrar Alexandria – mais tarde, no entanto, enquanto todas caminham pela floresta, fica claro que era tudo uma enganação.

Cyndie e a outra mulher de Oceanside encurralam Tara, mas Cyndie não tem coragem de matá-la. Ao invés disso, conta que foram os Salvadores que mataram todos os homens de sua comunidade, e faz Tara jurar nunca contar sobre a existência de Oceanside para ninguém, nem mesmo os alexandrinos. As duas mulheres até lutam contra um grupo enorme de zumbis para ultrapassar a ponte infestada onde Tara e Heath haviam sido atacados, tudo antes de algumas mulheres de Oceanside virem buscar Cyndie e arrastá-la de volta. Esse sem dúvida foi um episódio cheio de reviravoltas para The Walking Dead.

Promessa é dívida

No final das contas, Tara não encontra mais Heath, com quem com certeza vamos nos atualizar em outro episódio nessa temporada, mas ela consegue voltar para Alexandria, onde recebe as notícias sobre Denise, Abraham e Glenn. Rosita pergunta diretamente para Tara se ela conhece algum lugar com armas e munição para que eles se vinguem dos Salvadores, mas Tara diz que não viu nada desse tipo.

É curioso ver como The Walking Dead, mesmo em uma história pós-apocalíptica, mostra que seu compasso moral é forte ao posicionar uma promessa cumprida (e por um bom motivo) como um sinal de bom caráter e boa fé. Na semana que vem, podemos voltar à carnificina de Negan e os Salvadores – por enquanto, um pouco de esperança não faz mal.

The Walking Dead, "Swear" (7x06)
The Walking Dead, “Swear” (7×06)