Em Polar, adaptação do romance gráfico de mesmo nome feita pela Netflix, a maior parte da história é um exercício de ação brutal que ultrapassa os limites do não-horror, então é muito surpreendente que o final seja uma reflexão tão silenciosa sobre as consequências que uma vida com uma arma pode gerar.

Crítica | Polar

Aqui, explicamos tudo o que aconteceu no final do filme, que conta com Mads Mikkelsen como protagonista.

Camille queria matar Duncan o tempo todo

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Resultado de imagem para camille polar movieQuando Duncan e Camille se encontram pela primeira vez em Polar, eles são atraídos pelo silêncio um do outro. Com ambos aparentemente em busca da vida simples, Duncan responde ao fato de que Camille parece danificada, talvez até mesmo em necessidade de proteção; e Camille rapidamente é atraída pela personalidade misteriosa de Duncan. No entanto, o público só tem o lado da história de Duncan – encontrando consolo em uma alma quebrada, querendo usar suas habilidades para o bem, tornando-se uma figura paterna. Como se constata, Camille quase foi uma das vítimas de Duncan anos antes.

Quando as coisas finalmente se acalmam, Camille usa a arma que Duncan deu a ela como um presente e aponta-a para sua cabeça, revelando a verdadeira razão pela qual ela está lá. Acontece que um dos alvos de Duncan foi a mãe e os dois irmãos de Camille; e Camille foi a única sobrevivente.

Ela passou sua vida adulta rastreando o famoso Duncan, uma vez que ela tinha idade suficiente para descobrir a verdade, querendo nada mais do que matá-lo – mesmo que ela lutasse com a ideia de realmente tirar a vida de alguém. Duncan admite que ele se lembra dos assassinatos, mas explica que eles não deveriam ser seus alvos, que foi um erro.

Ainda assim, deixando-a viver, ele alimentou sua vingança. Porém, Camilla acaba perdoando Duncan, se unindo a ele para encontrar os responsáveis ​​pelo ataque – as pessoas que queriam seu pai morto.

Por que Duncan não matou Vivian?

Resultado de imagem para vivian polar movie

Polar é uma história complicada sobre pesar, redenção e seguir em frente, mas “relações complexas” é sem dúvida um dos seus temas mais importantes. Como o relacionamento de Duncan com Vivian, por exemplo. Apesar do fato de que eles dificilmente aparecem juntos, há uma história evidente entre os dois. Por um lado, Vivian parece mostrar simpatia por Duncan; por outro lado, ela trata o relacionamento deles como uma relação de trabalho e sugere que o que parece ser simpatia é, na verdade, o medo. Ela entende até onde Duncan está disposto a ir quando ele é prejudicado, e ela faz o possível para evitar que fique contra ele.

O fato de ela estar claramente disposta a deixar Duncan morrer é confirmado quando ela o engana, rastreando seu telefone até um armazém abandonado. Ela não sabe que ele antecipou o engano, o que ironicamente levou à vitória final de Duncan; mas a conversa final ainda acrescenta algum peso aos sentimentos que parecem claramente ter um pelo outro. Depois de aniquilar os guardas de Blut, matar Vivian seria fácil; e, no entanto, ele a deixa viver.

Há claramente mais para o relacionamento de Duncan e Vivian do que eles mostram em Polar, mas é mais implícito do que discutido. Ainda assim, mantê-la viva prova duas coisas: ela está certa de que Duncan está ficando mole; e há mais para explorar sobre seu relacionamento se Polar tiver uma sequência.

A Netflix pode produzir Polar 2?

Mads Mikkelsen vai estrelar Polar para a Netflix

Falando de uma sequência para Polar, há muito mais histórias para os futuros filmes adaptarem, supondo que seja um sucesso para a Netflix. De fato, embora este filme possa facilmente funcionar como uma narrativa independente e aberta, ele também funciona como uma espécie de história de origem para o relacionamento de Duncan e Camille. Polar abre o caminho para um enredo mais amplo que permita que os dois personagens trabalhem lado a lado, sem pretensões.

Se Polar 2 fosse produzido, provavelmente seguiria a jornada de Duncan e Camille para encontrar a pessoa que ordenou a morte de seu pai, ao mesmo tempo em que construía sua complicada relação de amor e ódio. Há também muitos personagens que poderiam trabalhar em sua jornada, incluindo Vivian, um assassino aposentado chamado Porter (Richard Dreyfuss), que ainda tem laços com a organização de Blut, a Agência Damocles e seus afiliados. A sequência do romance gráfico gira em torno de uma mulher em busca de vingança, o que dá mais peso ao fato de que uma sequência do filme provavelmente se inclinaria para o lado combativo de Camille – supondo que Duncan a tenha treinado consideravelmente entre os dois filmes.

Polar | Netflix resume o filme em 60 segundos: “É f*da”

Mads Mikkelsen estrela a adaptação de uma HQ da DC no papel do Kaiser, o melhor assassino de aluguel do mundo, que está prestes a se aposentar. No entanto, seu chefe decide que ele é um risco para a companhia, e ele passa a ser caçado por um exército de agentes mais jovens e mais equipados.

Vanessa Hudgens (Spring Breakers), Katheryn Winnick (Vikings) e Matt Lucas (Alice no País das Maravilhas) estão no elenco.

Jayson Rothwell (Natal Sangrento) escreveu o roteiro para Jonas Åkerlund dirigir. O cineasta sueco é conhecido por assinar videoclipes icônicos como Telephone (Lady Gaga & Beyoncé) e Jump (Madonna), entre dezenas de outros.

A HQ em que o filme foi baseado foi escrita pelo autor espanhol Victor Santos.

Polar está disponível na Netflix.