E se Vingadores: Ultimato não for um bom filme? Essa é a pergunta feita pelo portal Screen Rant. A resposta é que possivelmente isso não atrapalhe o sucesso do longa da Marvel.

Vingadores: Ultimato é o desfecho de uma história que começou há 11 anos e é composta por 22 filmes. Em comparação com outras franquias que chegam a conclusões de saga em 2019, como Game of Thrones e Star Wars, a da Marvel parece ser a única que inspira confiança para o público por conta da experiência cinematográfica que foi oferecida até aqui.

Mesmo que Vingadores: Ultimato não seja tecnicamente um bom filme, ele agradará o público. O primeiro motivo é que o longa segue a trama da jornada dos heróis, agora derrotados, contra o grande vilão Thanos. Basicamente, o mesmo formato de Vingadores: Guerra Infinita, que ainda deixou um final em aberto – algo que coloca levanta as expectativas dos fãs.


Na estrutura tradicional, com três atos, o filme tende a ser emocionante. Os fãs estão conectados de forma sentimental com os protagonistas. Assim, todos querem descobrir o que acontecerá com cada um dos personagens, independente de como for a trama.

O que pode ser um complicador nessa jornada, conforme aponta o Screen Rant, é a opção da viagem no tempo. Esse pode ser o artifício para resolver a luta contra Thanos.

Como a própria linha do tempo confusa da Marvel prova, voltar para eventos antigos pode ser complexo e não fazer sentido depois. Para o sucesso de Vingadores: Ultimato pode não ser um problema, mas pode ser tornar um para o futuro do universo cinematográfico do estúdio.

Mesmo assim, a perspectiva é tão boa para o filme que isso deve ficar em segundo plano. Matar metade dos heróis em Vingadores: Guerra Infinita e ter contratos acabando, como os de Chris Evans e Robert Downey Jr, pode significar momentos impactantes e inesquecíveis para os fãs. Por exemplo, é aguardado o retorno dos superpoderosos mortos de forma triunfal.

Esses são alguns pontos que fazem Vingadores: Ultimato um raro longa “à prova de críticas”. Independente de quais serão as avaliações, todos ainda vão querer ver o desfecho da história. Uma prova são os recordes de pré-venda que o filme da Marvel segue quebrando.

É esperado que o filme faça mais de US$ 800 milhões ao redor do mundo na estreia. A bilheteria final pode ainda ser a maior da história do cinema.

Conforme a história de Vingadores: Ultimato, apenas o futuro do Universo Marvel pode ser afetado. Ao que parece, o estúdio está pensando nisso. Apenas Homem-Aranha: Longe de Casa, que tem a Sony como parceira, está confirmado, e Viúva Negra seleciona o elenco, mas sem conceder muitos detalhes.

Esses pontos citados não querem dizer que Vingadores: Ultimato não será um filme bom. É apenas uma possibilidade no meio de 14 milhões. A perspectiva é a melhor possível para o desfecho da Saga do Infinito.

O elenco confirmado de Vingadores: Ultimato inclui Robert Downey Jr, Chris Evans, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Mark Ruffalo, Paul Rudd, Don Cheadle, Tessa Thompson, Bradley Cooper, Brie Larson, Karen Gillan, Josh Brolin, Gwyneth Paltrow, Jon Favreau e Tessa Thompson.

Anthony e Joe Russo (Vingadores: Guerra Infinita) retornam para a direção. O novo filme terá 3 horas de duração.

Vingadores: Ultimato estreia no dia 25 de abril nos cinemas brasileiros.