É muito estranho pensar que Star Wars vai acabar. Claro, não vai exatamente acabar, já que a LucasFilm tem diversos projetos para o cinema, TV e streaming baseados na saga especial criada por George Lucas na década de 70, mas a cronologia principal – a chamada Saga Skywalker – vai chegar a seu episódio derradeiro em 2019, quando A Ascensão Skywalker chegar aos cinemas. Tal como Vingadores: Ultimato e Game of Thrones, o Episódio IX representa mais um fim de ciclo marcante na cultura pop, que se despede de diversas obras icônicas este ano – ainda que nenhuma delas realmente esteja indo embora, curiosamente.

Por falar em Vingadores: Ultimato, é engraçado como Star Wars: A Ascensão Skywalker esteja tirando uma página do livro secreto de marketing da Marvel Studios. Certamente influência da Disney, que é dona das duas franquias, o misterioso título do Episódio IX foi revelado pela primeira vez com o teaser trailer do filme. Foi a mesma estratégia usada pelos irmãos Anthony e Joe Russo, que seguraram o título de Ultimato para o primeiro trailer, e parece que essa será uma nova tendência em Hollywood com projetos ultra-secretos.

Unindo os fãs

Em diversas entrevistas prévias ao início da divulgação do filme, o diretor J.J. Abrams atestou que Star Wars: A Ascensão Skywalker não é apenas a conclusão da nova trilogia iniciada em 2015 com O Despertar da Força, mas sim de toda a saga que narra a história dos Skywalker. A missão de Abrams com o Episódio IX é amarrar todas as pontas soltas dos anteriores, e unir as três trilogias para uma conclusão que pareça merecida e lógica para 42 anos de histórias – mais do que os 11 anos que levaram até Vingadores: Ultimato. É uma tarefa árdua, especialmente porque a legião de fãs de Star Wars encontra-se dividida.


Na realidade, ela está dividida desde o lançamento da trilogia prelúdio, que consiste em A Ameaça Fantasma, Ataque dos Clones e A Vingança dos Sith. São três filmes que os fãs mais veteranos de Star Wars não recebem com tanto carinho, mas os fãs trouxeram mais uma subdivisão com a nova trilogia da Disney, que tem uma parcela de críticos. Principalmente com o lançamento do polêmico Star Wars: Os Últimos Jedi, de Rian Johnson, que trouxe decisões criativas que desagradaram muitos fãs – mas que também funcionam muito bem para outros, e que – pessoalmente – tornaram a saga mais imprevisível e ousada do ponto de vista de história.

Com Star Wars: A Ascensão Skywalker, Abrams precisa agradar tanto aqueles quem amam a trilogia clássica, os que cresceram com, Hayden Christensen, os que querem a cabeça de Rian Johnson em uma lança e também, ainda assim, se manter fiel às decisões do Episódio VIII. Quando o primeiro trailer teaser do filme foi lançado na Star Wars Celebration, suas imagens grandiosas e narração enigmática indicavam essa preocupação de amarrar histórias: Luke Skywalker falando sobre gerações de Jedi que vivem dentro de Rey, o retorno do Lando Calrissian de Billy Dee Williams e a surpreendente revelação de que o Imperador Palpatine – o grande vilão por trás das duas trilogias anteriores – seria “ressuscitado” para o novo filme, ao passo em que os destroços da Estrela da Morte apareciam no final do trailer.

A Ascensão dos Fantasmas

Isso indica que J.J. Abrams pode sim trazer algo tão épico e marcante para Star Wars: A Ascensão Skywalker quanto a reunião dos heróis no clímax de Vingadores: Ultimato. Claro, tudo em suas devidas proporções, afinal a Marvel Studios teve 21 filmes de preparo e estabelecimento antes do grande evento, mas Star Wars pode contar com suas surpresas. Um retorno de Palpatine pode dar margem a mais personagens do universo da saga retornando, especialmente fantasmas.

O Luke Skywalker de Mark Hamill também deve ter uma participação triunfal, e por muito tempo se falou sobre uma possível aparição de Hayden Christensen e Ewan McGregor para reprisar os papéis de Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi em suas formas de fantasma. Até mesmo o Mestre Yoda já apareceu em Os Últimos Jedi, então ele certamente pode retornar.

Imaginem uma grande batalha da Força com diversos Jedi icônicos contra Palpatine e seja lá quem mais Abrams inventar de trazer? Se a intenção é unir trilogias, tragam-nos personagens de todos os filmes. Raios, existe até mesmo um rumor de que Harrison Ford teria gravado uma cena como Han Solo para A Ascensão Skywalker, que seria chave para uma mudança no arco de Kylo Ren. O filme até está literalmente trazendo Carrie Fisher de volta à vida ao utilizar cenas deletadas de O Despertar da Força para algumas sequências, então não custa nada sonhar com o que o Episódio IX pode trazer em termos de encerramento, talvez até seu próprio momento “Avante” de Vingadores: Ultimato.

Star Wars: A Ascensão Skywalker não tem uma tarefa fácil. Amarrar 9 filmes ambientados em períodos distintos e com impactos culturais variados necessitará de um equilíbrio forte, e de uma história que traga uma conclusão que pareça correta. Em um ano em que traz tantas despedidas como Vingadores: Ultimato e Game of Thrones, Star Wars tem a chance de entregar algo verdadeiramente especial, e digno da criação sagrada de George Lucas.

Star Wars: A Ascensão Skywalker estreia nos cinemas em 19 de dezembro.