Os filmes de super-herói dominaram o cinema na última década. Os estúdios do Universo Cinematográfico Marvel e o Universo Estendido DC são produtores dos filmes mais lucrativos dos últimos anos, o que faz com que outros estúdios tenham que inovar para não ficar para trás.

Pensando nisso, o produtor Steven Paul (Ghost in the Shell) anunciou no Festival de Cannes a compra da antiga Atlas Comics, editora que originou a Marvel Comics. O produtor também anunciou uma parceria com a Paramount Pictures para produzir e distribuir filmes de super-herói da Atlas Comics, o que indica que uma nova franquia de filmes de super-heróis está nascendo para rivalizar com a Marvel e a DC.

Os filmes baseados nos personagens da Atlas Comics devem começar a ser produzidos a partir de 2020. O diretor Akiva Goldsman (Torre Negra e Eu Sou a Lenda) também está envolvido no projeto.


Neste artigo vamos discutir as consequências do surgimento dessa nova franquia para o cinema e para os filmes de super-herói.

A história da Atlas Comics

A Atlas Comics surgiu nos anos 50 como uma divisão da Timely Comics, empresa de
Martin Goodman, que depois evoluiu para a Marvel Comics que conhecemos hoje. Em 1968, Goodman vendeu sua parte da empresa, que passou a ser gerida por Stan Lee. Ele então criou a Atlas Comics e seus heróis em 1974 para rivalizar com a Marvel e a DC, que nessa época já dominavam o mercado de quadrinhos.

Quais são os heróis da Atlas Comics?

Apesar de ser bem menos badalada que a Marvel e a DC, a Atlas Comics tem um acervo interessante de heróis. Entre as histórias mais conhecidas da Atlas, estão as do Homem-Tigre, Esquadrão da Morte, Devilina e Sargento Striker e o próprio Capitão América, que hoje tem seus direitos associados à Marvel.

Qual é o potencial dessa nova franquia nos cinemas?

Apesar da empolgação de Steven Paul, o Universo de Atlas Comics no cinema deve enfrentar muitos problemas, a começar por questões de direitos autorais. Por ser uma empresa anterior à Marvel, o acervo da Atlas possui muitos personagens parecidos, ou até iguais aos de sua empresa sucessora, o que torna impossível a utilização plena deles nos cinemas.

Capitão América, Homem-Aranha, Namor e Tocha Humana (Quarteto Fantástico) são exemplos de personagens que surgiram na Atlas mas tem seus direitos vinculados à Marvel, não podendo ser utilizados pela editora sem que problemas judiciais sejam gerados.

Apesar disso, os envolvidos no projeto estão animados e apostam que os personagens criativos e desconhecidos da Atlas Comics poderão fazer muito sucesso nos cinemas.

“A Atlas Comics é um tesouro de personagens e histórias clássicos. Estou mais do que empolgado para me juntar a Jason Goodman, Steven Paul, Scott Karol e Spike Seldin em abrir isso para o mundo. Faremos nosso melhor para satisfazer fãs antigos e novos”, afirmou o diretor Akiva Goldsman ao Deadline.

Resta saber se os pequenos heróis da Atlas vão conseguir rivalizar com a Marvel e a DC nos cinemas. Descobriremos em 2021, ano em que o primeiro filme dessa nova franquia deve ser lançado.