CONTÉM SPOILERS!

Ao longo das oito temporadas de Game of Thrones, Cersei Lannister sempre foi uma das melhores e mais fascinantes personagens. Uma mulher capaz de fazer coisas terríveis, mas sempre dentro de seu próprio censo do que era certo, muitas vezes se posicionando como uma antagonista formidável. Nas duas temporadas que antecederam a final, Cersei vinha sido construída como a grande vilã da série – representando uma ameaça maior até mesmo do que o Rei da Noite.

Justamente por isso, Cersei Lannister não merecia um desfecho tão ruim na oitava temporada. Voltamos alguns episódios com “The Long Night”, que trouxe a guerra sombria do Norte contra os Caminhantes Brancos do Rei da Noite para uma resolução inesperada: Arya matou o Rei da Noite e destruiu o exército dos mortos, e isso aconteceu literalmente na metade da temporada. O próximo passo foi justamente estabelecer Cersei como a grande antagonista a ser derrotada, para que Daenerys Targaryen assuma o Trono de Ferro que é seu por direito – depois de Jon Snow, claro.


Sem cartas sob a manga

E todos sabemos que Cersei Lannister não deve ser subestimada. Basta lembrar de sua vingança contra a igreja do Alto Pardal na sexta temporada, onde orquestrou um plano brilhante para explodir a Septa de Baelor com um arsenal de Fogo Vivo, assumindo total controle de Porto Real. Cersei foi até ligeira em não arriscar suas tropas na Batalha de Winterfell, ficando isolada e sem mover um dedo para ajudar os nortistas. Sua estratégia foi contratar a Companhia Dourada, um poderoso exército de mercenários, para se juntar a Porto Real e a frota naval de Euron Greyjoy, preparando-se para uma vindoura batalha contra Daenerys Targaryen e seus dragões.

Cersei mal apareceu na temporada até os eventos do quarto e quinto episódio, e o espectador esperava que a Rainha preparava algo grandioso. Uma carta sob a manga que a personagem já foi capaz de esconder com habilidade. Mas não. Chegada a grande batalha, a Companhia Dourada se provou completamente inútil, a frota naval de Euron não foi capaz de acertar UMA flecha no dragão de Daenerys (mesmo tendo surpreendido-a com TRÊS flechadas em Rhaegal no episódio anterior) e o restante da Guarda Real simplesmente largou as espadas quando as tropas lideradas por Verme Cinzento e Jon Snow adentraram a cidade. 

Diante da rendição dos soldados, que clamam para que Cersei toque os sinos da Fortaleza Vermelha – que anunciam a derrota – ela acaba aceitando. Assim, sem trazer uma grande reviravolta ou um plano mirabolante, Cersei simplesmente desiste. Poucas vezes vimos a personagem tão desesperada ou vulnerável. Mesmo quando percorreu a caminhada da vergonha na quinta temporada, vimos Cersei mais determinada, e por mais que seja possível compreender que a tirana percebeu que o fim se aproximava, era de se esperar mais.

Desfecho decepcionante

Afinal, “The Last of the Starks” trouxe uma tentativa de negociação notável. Daenerys parou com seu exército às portas de Porto Real para que Tyrion tentasse algum tipo de trégua com Cersei, que ainda mantinha Missandei como refém. Por mais que Tyrion tenha conseguido atingir seus sentimentos e reforçar o fato de que ela é uma boa mãe, Cersei executou Missandei da mesma forma. Essa ação era o convite para vermos Cersei liberando toda sua fúria e força na batalha final; a promessa mesma Cersei sanguinária e calculista que queimou a Septa de Baelor. Se era para a personagem se render tão fácil no episódio seguinte, uma trégua pacífica com seu irmão teria sido mais satisfatória – e surpreendente.

Cersei Lannister morreu fugindo da Fortaleza Vermelha, que sofria um ataque incendiário de Daenerys e seu dragão. Ela conseguiu reencontrar com seu amado irmão Jaime, que tentou acessar uma passagem secreta que os tiraria para fora de Porto Real. Não havia tempo, e ambos morreram soterrados quando a estrutura desabou sobre os dois. Há uma pitada de simbolismo ali, com a personagem sendo destruída pelos destroços de seu próprio reino, mas ficou a impressão de que ela merecia algo muito mais memorável e marcante.

Afinal, se Game of Thrones se livrou do Rei da Noite tão rapidamente na metade da temporada, era de se esperar que Cersei Lannister servisse como a grande antagonista. Não foi o caso, e torço para que o episódio final da série justifique essa decisão.

A oitava e última temporada de Game of Thrones está focando na luta final pelo Trono de Ferro. Os episódios são disponibilizados no Brasil pela emissora e pelo serviço HBO GO simultaneamente à exibição nos Estados Unidos.

Além da oitava e última temporada, a HBO já está planejando a produção de série derivadas de Game of Thrones, uma delas estrelada por Naomi Watts, ainda sem data de estreia.

A temporada final de Game of Thrones está em exibição na HBO.