Atenção! Contém spoilers de Vingadores: Ultimato.

Vingadores: Ultimato finalmente resolveu o conflito entre Tony Stark e Steve Rogers, iniciado em Capitão América: Guerra Civil.

Como parte da introdução para os eventos de Guerra Infinita e Ultimato, a equipe dos Vingadores se dividiu em relação aos Acordos de Sokovia, que colocariam todos os heróis sob a jurisdição das Nações Unidas. Com perspectivas bem diferentes sobre esse ponto, o Capitão América e Homem de Ferro se enfrentaram na dita Guerra Civil.


O conflito de Guerra Civil

Steve Rogers não queria abrir mão da liberdade dos heróis para o cumprimento dos acordos. Tony Stark, arrependido da criação de Ultron, aceita a proposta da ONU. A divisão criou uma dicotomia interessante, já que Steve Rogers é quem costuma seguir as regras, e Stark tem um temperamento mais imprevisível.

O marketing de Capitão América: Guerra Civil pedia que o público escolhesse seu lado: Time Capitão América ou Time Homem de Ferro. No entanto, o desfecho do filme não resolve o conflito nem indica quem estava “certo” na situação.

Tony Stark parece ganhar a batalha, e o Capitão América é forçado a se esconder. O filme não analisa a legitimidade dos Acordos. Agora, em Vingadores: Ultimato, a questão é resolvida.

Tony Stark tinha razão

Após os eventos de Guerra Civil, Stark e Rogers ficaram separados por dois anos, e até mesmo em Guerra Infinita. A divisão dos heróis deixou a terra mais vulnerável para o ataque de Thanos. Em Vingadores: Ultimato, os heróis resolvem deixar as diferenças de lado e se unir para derrotar o Titã Louco e reverter os efeitos do estalo.

Em Vingadores: Ultimato, um Tony Stark completamente arrasado emocionalmente, vaga pelo espaço por 22 dias. Quando o herói retorna, seus companheiros perguntam sobre suas experiências com Thanos. Nesse momento, ele recorda de todas as vezes que alertou sobre a ameça iminente.

A raiva de Stark estava particularmente voltada para o Capitão América. O Homem de Ferro estava irado porque Steve Rogers resolveu priorizar a preservação de suas liberdades individuais ao invés de se comprometer em proteger a terra.

Segundo a perspectiva de Tony Stark, a única maneira de os Vingadores continuarem juntos era a assinatura dos Acordos.

Em Vingadores: Ultimato, Rogers não retruca as críticas de Tony Stark. Como é o hábito do personagem se manifestar sempre que não concorda com alguma coisa, o seu posicionamento pode ter mudado com o reconhecimento de seu erro.

Enquanto Rogers deu a Stark uma maneira de contactá-lo, a dor sobre sua traição na morte de Howard e Maria Stark foi mais difícil de superar do que as desavenças sobre os acordos.

O posicionamento do Capitão

É claro isso que não significa que Rogers estava errado nos eventos de Guerra Civil. Suas ações foram baseadas em suas experiências pessoais, assim como as de Stark. Além disso, havia a questão de Bucky, seu melhor amigo, pego no meio do fogo cruzado do bombardeio das Nações Unidas.
No entanto, é preciso reconhecer que o posicionamento do herói deu a oportunidade perfeita para Thanos atacar a terra, já que os Vingadores não estavam mais unidos para enfrentá-lo.

O elenco confirmado de Vingadores: Ultimato inclui Robert Downey Jr, Chris Evans, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Mark Ruffalo, Paul Rudd, Don Cheadle, Bradley Cooper, Brie Larson, Karen Gillan, Josh Brolin, Gwyneth Paltrow, Jon Favreau e Tessa Thompson.

Anthony e Joe Russo (Vingadores: Guerra Infinita) retornam para a direção.

Vingadores: Ultimato está em exibição nos cinemas.