Era fácil prever que Vingadores: Ultimato teria algumas sequências de batalha bem bombásticas. Com todos os heróis do MCU unidos, os fãs estavam ansiosos pelo momento em que todos os Vingadores se reúnem contra as forças de Thanos, acreditando que essa seria a luta mais épica do filme.

No entanto, por mais incrível que seja, Vingadores: Ultimato surpreende e nos entrega uma briga em particular que não é somente a melhor do filme, mas também a melhor de todos os filmes de super-heróis: o Capitão América lutando frente a frente com Thanos.

Capitão América iguala suas forças às de Thanos


Depois de Hulk trazer todos de volta, a nave de Thanos, de 2014, chega por um portal do tempo e dizima o complexo dos Vingadores. Ao despachar suas tropas terrestres para pegar a Manopla feita por Tony Stark, ele aguarda a trindade do MCU no campo de batalha. Infelizmente, ele leva o Homem de Ferro para fora de batalha e, em um ataque impiedoso, nem mesmo Thor, simultaneamente empunhando Mjolnir e Stormbreaker, é suficiente para neutralizar o Titã Louco. No entanto, assim que Thanos está prestes a matar Thor com seu próprio machado, vemos o Mjolnir sendo levantado do chão e usado para espancar o vilão.

A câmera traz uma cena gloriosa do martelo Asgardiano retornando ao Capitão América. O que se segue é nada menos que a mais grandiosa briga nerd de todos os tempos. Capitão América começa a usar suas habilidades em artes marciais mistas para levar Thanos aos seus limites, lutando muito mais rápido e selvagemente do que nunca enquanto bate no Titã Louco. É como uma cena tirada direto dos quadrinhos, onde socos se misturam com Steve chamando raios de um jeito que deixaria o próprio Odin orgulhoso.

Quando Thor diz, “Eu sabia”, torna-se óbvio que Steve é ​​digno, fato evidenciado pela maneira como alterna o arremesso do martelo e seu escudo no rosto de Thanos. O momento culminante vem quando ele usa o escudo como um desertor para queimar o tirano com um relâmpago Asgardiano, confirmando que Thanos encontrou alguém à sua altura. É exatamente por isso que Thanos, mesmo com toda a sua força, lutou contra Steve em Wakanda em Vingadores: Guerra Infinita, e também relembra o momento em Vingadores: Era de Ultron quando Capitão América fez o martelo se mexer enquanto tentava levantá-lo.

O símbolo do herói

Vimos algumas incríveis lutas de filmes de histórias em quadrinhos ao longo das décadas, mas essa cena traz um nível que ainda não tinha sido tocado. Evoca lembranças do próprio Império Secreto, onde Capitão América também segurava o martelo. Mas aqui, os irmãos Russo criaram uma sequência de ação dinâmica, onde o Capitão América impressiona até o ponto que você pode realmente acreditar que um homem pode lutar contra o Titã Louco. A maneira como ele descarrega seu arsenal diverso é nada menos do que um espetáculo.

Curiosamente, o que acrescenta muito mais significado é Thanos revidando e usando seu machado de lâmina dupla para confrontar Steve, quebrando seu escudo no processo. É um caso raro em que Thanos perde a compostura. No entanto, mesmo com um escudo quebrado, Capitão América mostra que pode fazer isso o dia todo, levantando-se diante da morte certa, inabalável. Reitera o que seu símbolo significa – persistência e liberdade de toda opressão.

Em última análise, a batalha é um testemunho ideal para o personagem e seu mantra ao longo do filme, enquanto ele faz “o que for preciso”. Felizmente, a briga acaba dando a ele tempo suficiente para suas próprias tropas começarem a chegar, aumentando a escala do filme ainda mais e permitindo que esta frente unificada tenha uma chance final de derrubar Thanos de uma vez por todas.

Vingadores: Ultimato está em exibição nos cinemas.