J.K. Rowling continua mudando o cânone de Harry Potter em um esforço para melhorar a saga. No entanto, suas decisões têm tido o efeito oposto. Ao invés de enriquecerem a história, acabam a tornando mundana e frívola.

As razões para manter a saga viva são principalmente financeiras. Mesmo como uma das mulheres mais ricas do Reino Unido, Rowling não consegue resistir a mais exposição e lucro.

O site Screen Rant separou algumas das maneiras que a autora vem prejudicando sua própria obra. Confira abaixo!


Novos produtos

Sem surpresas, após a conclusão da saga Harry Potter no cinema, a franquia dominou o mundo não apenas com filmes, mas com parques temáticos, videogames, sites expansivos e muitos, muitos produtos licenciados.

Nos cinemas, a saga foi revivida com Animais Fantásticos, franquia de filmes ambientada bem antes dos eventos de Harry Potter, que acompanha as aventuras do bruxo Newt Scamander e a busca de poder de Grindelwald.

Como se isso não fosse bastante, também foi produzida a peça de teatro “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada”, que serve como sequência para a obra original.

Representatividade forçada

Os livros de Harry Potter são protagonizados por personagens brancos e heterossexuais. Isso é um fato. J.K. Rowling não se preocupou nem um pouco com a representatividade (étnica e sexual) quando estava escrevendo os livros.

A saga Harry Potter foi escrita realmente em outra época, por isso a autora talvez não tenha pensado nesse lado.

No entanto, com a maior valorização de obras com personagens diversos na atualidade, Rowling parece querer compensar as falhas de seus livros.

Em 2007, a autora surpreendeu o mundo ao afirmar que Dumbledore era gay. A revelação foi aplaudida na época, por ser um passo corajoso para a representatividade.

Mesmo assim, fãs questionaram o por quê da autora não ter se referido à sexualidade do diretor de Hogwarts em sua obra original.

Desde então, Rowling continua a “revelar” detalhes inusitados sobre o mundo grupo. A maioria delas vêm para compensar algo que faltou nos livros originais.

Dessa forma, a maioria das novas revelações de J.K. Rowling acaba irritando fãs, criando memes na internet e soando vazias e interesseiras.

O problema dos filmes

Se as revelações de J.K. Rowling se atessem aos livros e sites, a reação dos fãs talvez seria diferente. No entanto, com a saga Animais Fantásticos a pleno vapor, mais polêmicas surgiram.

A primeira delas poderia ter sido resolvida com uma simples decisão dos produtores. Johnny Depp interpreta Grindelwald, o grande vilão de Animais Fantásticos.

Como Harry Potter parece querer se tornar uma saga inclusiva e moderna, a decisão de escolher um suposto agressor de mulheres para um papel importante foi estranha.

Johnny Depp está sendo processado por sua ex-noiva Amber Heard por agressão. Fãs protestaram contra a escalação do ator. Porém, J.K. Rowling emitiu um pronunciamento apoiando sua contratação.

Além disso, o relacionamento de Grindelwald e Dumbledore também foi criticado. Havia sido noticiado que o namoro entre os bruxos seria apenas sugerido nos filmes.

Após protestos de fãs, Rowling voltou atrás e afirmou que o relacionamento será mostrado sem rodeios.

Uma coisa é certa: J.K. Rowling parece estar compreendendo as críticas do público. O terceiro capítulo de Animais Fantásticos teve sua estreia adiada para que a autora e sua equipe possam trabalhar melhor o roteiro do longa.