Após o lançamento de Vingadores: Ultimato, o Universo Cinematográfico da Marvel Studios fica em uma posição interessante. Diferentes possibilidades para novos filmes, franquias e personagens nos cinemas estão abertas. Porém, o MCU terá uma promissora nova porção no Disney +, serviço de streaming do estúdio que será lançado em novembro deste ano nos EUA.

O próprio Kevin Feige já disse em entrevistas que o novo catálogo do streaming será uma expansão diretamente conectada ao MCU. Agents of SHIELD, Fugitivos, Manto e Adaga e todas as séries da Netflix (Demolidor, Jessica Jones e o universo dos Defensores) tecnicamente fazem parte do universo da Marvel, graças às referências, mas nunca com conexões explícitas.

A série do Loki


Primeiramente, ninguém esperava que Vingadores: Ultimato fosse nos dar uma ligação direta com a série do Loki. O projeto foi anunciada no ano passado, e provocou dúvidas pelo fato do personagem de Tom Hiddleston ter morrido no começo de Vingadores: Guerra Infinita, provocando discussões sobre a possibilidade de ser um prelúdio. Sim e não, mas de uma forma criativa. 

Explico: Quando Capitão América, Homem de Ferro, Hulk e Homem-Formiga retornam para a Nova York de 2012, nos eventos do primeiro filme dos Vingadores, uma confusão acaba sendo criada para recuperar o Tesseract. Tony e o Homem-Formiga provocam uma distração, mas a interferência do Hulk do passado acaba fazendo com que o Tesseract caia no chão, atraindo a atenção de Loki, que estava sendo levado sob custódia por Thor – de volta à Asgard. Aproveitando a confusão, o Deus da Trapaça roubou o cubo, que contém a Joia do Espaço, e se teleportou para longe dali. 

Como Loki realmente foi morto por Thanos e não retornou à existência em Vingadores: Ultimato, a solução mais elegante e inteligente para a série do Disney + seria usar essa versão fugitiva do personagem. Assumindo que a teoria de viagem no tempo que o MCU assume, nada feito no passado pode alterar o futuro, então ter esse Loki fugindo não altera os eventos do MCU – a menos que o Capitão América tenha devolvido as Joias do Infinito na hora certa, invalidando qualquer confusão. Mas que a Disney não perca essa oportunidade e preserve o Loki de 2012 para sua vindoura série.

A série do Falcão e Soldado Invernal

Já com Falcão e Soldado Invernal, as coisas ficam um pouco mais complicadas. Como Vingadores: Ultimato deixa bem claro em suas cenas finais, Steve Rogers passou o manto de Capitão América para Sam Wilson, que se tornará a nova versão do herói nos cinemas. Anthony Mackie e Sebastian Stan foram confirmados na série do Disney +, mas o que isso significa? A série não deve ser um prelúdio, já que o Falcão e Bucky Barnes nunca passaram tempo juntos entre os filmes – considerando que Bucky ficou congelado e exilado em Wakanda enquanto Sam ajudava o Capitão com os Vingadores Secretos após a Guerra Civil.

Será que veremos Sam Wilson relutante para assumir o posto do Capitão na série, e ainda atuando como o Falcão? Ou mais longe ainda: Sam Wilson está na série, mas não como o Falcão, mas sim para escolher um substituto para assumir o manto do Vingador das asas de aço? Mais uma possibilidade interessante, especialmente se a série for vendida como um evento limitado.

Por falar em passar mantos e legado, o Gavião Arqueiro tem uma série confirmada no Disney + também. Aparentemente, a premissa da série envolverá Clint Barton passando o arco para Kate Bishop, e tivemos uma boa pista disso em Vingadores: Ultimato. Não que Bishop de fato apareça no filme, mas Clint treina arco e flecha com sua filha mais velha logo na primeira cena do filme, já introduzindo a relação de mentor e professor que o Gavião deve assumir na futura série.

A série da Feiticeira Escarlate e do Visão

Agora, o que realmente nos dá um nó no cérebro é WandaVision. A série sobre a relação entre Feiticeira Escarlate e Visão será filmada este ano, e Vingadores: Ultimato trouxe a personagem de Elizabeth Olsen de volta, mas não fez nada quanto ao Visão de Paul Bettany – morto por Thanos em Guerra Infinita. Pra engrossar ainda mais o caldo, Olsen revelou que a série será ambientada na década de 50, o que não faz o menor sentido na cronologia do MCU; já que nenhum dos personagens passou por essa época na franquia.

Nossa teoria? A série provavelmente deve ser um prelúdio, talvez preenchendo as lacunas do romance do casal, entre os eventos de Guerra Civil e Guerra Infinita. Pois convenhamos, é preciso mais material e contexto, já que o romance entre Wanda e Visão nunca foi tão convincente nos cinemas – a menos para os fãs devotos dos quadrinhos, que já tinha conhecimento do passado dos dois nas HQs.

Outra possibilidade também envolve algo que aconteceu nos quadrinhos. Wanda já mostrou em Era de Ultron que pode criar alucinações e outras realidades, e talvez ela possa fazer isso consigo mesma. E se Wanda estivesse tão deprimida a ponto de criar uma simulação para si mesmo, onde tem uma vida na década de 50 com Visão? Pouco animador do ponto de vista narrativo e amadurecimento de personagem, mas é uma possibilidade.

Vingadores: Ultimato está em exibição nos cinemas.