O anúncio da Fase 4 da Marvel Studios durante seu aguardado painel na San Diego Comic-Con foi bombástico e cheio de novidades. Porém, entre os diversos filmes e séries que comporão a narrativa do MCU, os fãs notaram na ausência de um fator que sempre apareceu nos cronogramas anteriores: um filme dos Vingadores, que geralmente vinha para encerrar uma fase.

Isso aconteceu com o primeiro Vingadores e Era de Ultron, enquanto a Fase 3 contou com nada menos do que dois filmes dos Maiores Heróis da Terra – e até três se considerarmos que Capitão América: Guerra Civil é praticamente um filme dos Vingadores. Logo, fica a questão: o que a Marvel está preparando para seu próximo grande crossover? Afinal, os títulos da Fase 4 são filmes de heróis individuais – com apenas Os Eternos sendo um grupo e a Feiticeira Escarlate aparecendo em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. Mas nada de crossover.

Porém, analisando alguns fatores, é possível tentar adivinhar o que exatamente o produtor Kevin Feige planeja para o futuro. Ao longo dos últimos anos, notamos como o foco dos filmes da Marvel está cada vez mais voltado para uma linha cósmica, com o sucesso de Guardiões da Galáxia, Thor: Ragnarok (que virou praticamente um Flash Gordon) e Capitã Marvel, assim como o próprio Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato, que assumem um grande caráter espacial com a presença de Thanos e seus exércitos alienígenas.


Aniquilar!

O que nos leva a um arco das HQs que foi altamente rumorizado por algum tempo no MCU: Aniquilação. O crossover foi lançado em 2005, e traz uma batalha dos heróis cósmicos da Marvel contra Annihilus, um vilão do Quarteto Fantástico que liberta um exército de seus lacaios da Zona Negativa pelo universo. A Tropa Nova de Xandar logo vai ao combate, e logo os Kree e Skrulls são forçados a ajudar na batalha. Mas tudo fica pior quando Annihilus captura Galactus e usa seu poder, trazendo agora os Guardiões da Galáxia, Surfista Prateado, Nova e Super-Skrull.

Por que a aposta em Aniquilação, dentre todas as outras? É justamente pela divisão entre histórias centradas na Terra e em dimensões cósmicas. Enquanto Viúva Negra, Falcão e Soldado Invernal e Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis são histórias na Terra, enquanto Os Eternos, Doutor Estranho 2 e Thor: Love and Thunder (além de Guardiões da Galáxia Vol. 3 e Capitã Marvel 2, ambos em desenvolvimento) pavimentam um audacioso caminho para as estrelas.

E esse crossover também é uma possibilidade porque teremos a presença do Quarteto Fantástico em um futuro muito próximo. Com Thanos já tendo sido usado, o poderoso Galactus é uma boa alternativa para próximo grande antagonista, e sua presença na saga de Aniquilação traz elementos interessantes para serem explorados no cinema – e que seguem empurrando o MCU cada vez mais para uma realidade cósmica.

Claro que isso não passa de especulação. Até porque o próprio Kevin Feige afirmou na Comic-Con que o cronograma pode ser alterado e até ganhar novos títulos. Mas cedo ou tarde teremos nosso novo crossover, e apostamos que ele será nesse subtexto cósmico.