Com Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, a Netflix espera atingir uma maior audiência fora do Japão com a clássica obra de Masami Kurumada, popular desde os anos 1980.

Com tantos animes e mangás de sucesos já produzidos sobre os Cavaleiros do Zodíaco, permanece a dúvida: será que essa nova versão em CGI vai atrair novas audiências.

Felizmente, o pessoal do Decider respondeu essa pergunta, trazendo alguns detalhes sobre a nova produção da Netflix.


Cena de abertura

Terra. Lua. Sol. Os corpos celestes se alinham enquanto um narrador diz: ‘É dito que a cada 100 anos, a deusa Atena reencarna’.

A partir daí, vemos ainda mais cenas expositivas.

O resumo

Há uma profecia sombria sobre a nova reencarnação de Atena. Cinco guerreiros juram protegê-la. Ela é um bebê de cabelo roxo.

Em seguida vemos a casa de um jovem garoto e sua irmã, à noite. As mãos de Patricia brilham em azul, quando capangas armados invadem a casa. Um cavaleiro de ouro aparece do nada para protegê-los.

Ele defende inúmeras balas com seus poderes, mas Patricia é ferida e fica inconsciente. Seiya fica junto do cavaleiro, que voa e desaparece pela noite como um cometa.

Certo tempo depois, Seiya é um adolescente que carrega um desenho de sua irmã perdida no seu bolso. Enquanto leva uma surra de bullies, suas mãos começam a brilhar em azul e ele faz um carro flutuar. Isso é filmado e todos no orfanato sabem que Seiya tem poderes agora.

Eventualmente Seiya é sequestrado por pessoas que querem mostrar a ele o quão poderoso ele é, qual o seu destino e onde está sua irmã.

Eventualmente ele é levado para uma base secreta dentro de uma montanha e lá conhece Alman Kido e sua neta de cabelo roxo Sienna.

Kido passa os próximos minutos explicando que deuses poderosos estão em guerra com seu antigo parceiro de negócios Vander Guraad, que quer roubar seus poderes e um grupo de cavaleiros do zodíaco quer impedir a destruição do mundo. Seiya é um desses cavaleiros, o cavaleiro de Pégaso.

Antes de Seiya começar a duvidar da história, Guraad aparece, discute com Kido e ameaça assassinar Sienna. Os capangas então levam Seiya e Sienna, mas as mãos de Sieya brilham em azul e ele derruba um dos helicópteros de Guraad, que jura capturar o cavaleiro de Pégaso.

Diferenças

Trata-se obviamente de uma nova versão da história de Os Cavaleiros do Zodíaco, mas que mantém alguns elementos do original.

Naturalmente, com o passar da temporada, Seiya vai desenvolvendo mais seus poderes, com tudo funcionando à base da velha narrativa do escolhido.

A animação em si não é nada excepcional e parece bastante com um videogame, bem similar a outras animações que optam pelo CGI ao invés do desenho tradicional. A estrutura narrativa ainda segue os moldes do anime, com diálogos expositivos constantes.

Vale a pena?

Baseado nesses 22 minutos iniciais, o Decider certamente considera que vale a pena assistir o novo Os Cavaleiros do Zodíaco.

O site indica que esses 22 minutos iniciais prometem, mas que ainda há a possibilidade da tentação de retornar para o anime original tome conta do espectador. Afinal, clássicos são clássicos.

Dito isso, ainda que o anime original tenha envelhecido consideravelmente, o mangá permanece uma opção viável e certamente de maior qualidade – ainda que o traço inicial de Masami Kurumada não seja nenhuma maravilha (ele vai melhorando com o passar dos capítulos).

Em todo caso, baseado no primeiro episódio de Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, da Netflix, vale a pena investir seu tempo nessa primeira temporada.