Uma das atrações mais esperadas da San Diego Comic-Con, ainda mais considerando a ausência de grandes estúdios do cinema, era o painel onde a Netflix finalmente apresentaria os primeiros detalhes e trailer de The Witcher; ambiciosa nova série de fantasia estrelada por Henry Cavill.

O astro dominou o painel ao lado do elenco e da showrunner Lauren Schmidt Hissrich e não conteve sua felicidade em se revelar um grande fã de The Witcher, especialmente dos games que adaptaram a obra de fantasia.

“Eu sou um gamer. Eu joguei muito esses jogos, muitas, muitas horas, e Warcraft. Mas havia algo sobre Geralt que me causava uma conexão. Ele não é o seu herói tradicional. Ele é um tipo de pessoal muito real e que não trata todos perfeitamente, mas ele também é um herói”, disse Cavill.


“Não é que os Bruxos não podem fazer decisões morais, é o mito de que eles não têm emoções, mas é isso o que os ajuda a fazer dinheiro com monstros, e se eles não têm emoções, eles podem negociar o quanto quiserem. Geralt é muito mais do que isso. Ele tem esse exterior durão porque ele acredita que é assim que o mundo funciona, mas lá no fundo existe um homem que acredita no que o mundo pode ser”, explica Hissrich, que ainda apresentou cenas inéditas da série da Netflix.

Sobre o trailer

O ótimo trailer é, como esperado, centrado na figura de Henry Cavill como Geralt de Rávira. Somos apresentados brevemente ao mundo de The Witcher, descrito como um universo onde elfos ensinaram magia aos humanos (enfatizando que o caos controlado garante poderes sobrenaturais). Geralt é um dos melhores bruxos (witchers, no original), dedicando sua vida a caçar monstros em troca de dinheiro – como todo bom RPG.

Nesse cenário, o trailer introduz a princesa Ciro, que pode ser a mulher mais poderosa do mundo, e que logo garante interesse geral de diferentes personagens – com destaque para a presença do Império de Nilfgaard, o mais antigo do universo de The Witcher, e um dos grandes antagonistas da saga. Gelart será responsável por encontrar e proteger a garota, e temos uma premissa engatada.

Visualmente, The Witcher parece uma das séries mais caras e impressionantes da Netflix. Ainda não tem o impacto visual de uma Game of Thrones, mas certamente está melhor do que Vikings e outros produções que tentam trazer o épico para as telas da TV. As cenas de ação parecem estilosas, assim como o estilo de luta que coloca Henry Cavill para fazer magia – e o ator parece muito à vontade no papel, definitivamente apagando a imagem daquele terrível teste de câmera que o deixava similar ao Legolas de O Senhor dos Anéis.

Mas o grande easter egg para os fãs de The Witcher vem logo na última cena do trailer. Vemos Geralt chamando uma criatura similar a uma aranha gigante, que os fãs podem reconhecer como uma dos Aracnomorfos, vista na DLC de The Witcher 3. Ele a usa para despertar habilidades desconhecidas, marcadas por seus olhos sombrios.

Certamente a Netflix tem uma grande aposta, e a promessa é grande. A julgar pelas reações, a série de fantasia com Henry Cavill pode surpreender e, de longe, se mostra como a grande candidata a assumir o manto de “próxima grande série de fantasia” após o fim de Game of Thrones.

The Witcher ainda não ganhou uma data de estreia oficial no streaming da Netflix.