A Disney e a Marvel perderam o Homem-Aranha, que agora está fora do MCU, mas esse não é o fim da linha para o personagem. Ainda há muito espaço para explorá-lo de uma maneira interessante, que deixe os fãs satisfeitos e que renda muito dinheiro para a Sony.

Pensando nisso, o Hypable falou sobre o passado, o presente e o futuro do Homem-Aranha nos cinemas, justamente para entender para onde ele está indo e como esse novo caminho na Sony pode ser interessante.

O passado e o presente do Homem-Aranha

A narrativa de que o Homem-Aranha vai acabar longe da Marvel está bem errada. Sim, Homem-Aranha: Longe de Casa é o filme mais lucrativo do herói até hoje, mas o fato é que nenhum live-action com Peter Parker lucrou menos de US$ 700 milhões, seja ele ligado à Marvel ou não.


Mesmo filmes odiados pelos fãs – e pela crítica – como Homem-Aranha 3 e O Espetacular Homem-Aranha 2 fizeram muito dinheiro – Homem-Aranha 3 é um caso especial, já que o filme é o segundo mais lucrativo da história da franquia, atrás apenas de Homem-Aranha: Longe de Casa.

Em termos de aceitação da crítica e do público, os números também mostram que a Sony sabe lidar com o Homem-Aranha – na maioria das vezes. Homem-Aranha: No Aranhaverso é de longe o filme mais amado do herói, com uma média de 97% de aprovação no RottenTomatoes.

Homem-Aranha 1 e 2, ambos dirigidos por Sam Raimi, têm aprovação de 90% e 93% respectivamente, o que só mostra que a Sony, apesar de ter falhado com o personagem em diversas ocasiões, tem total condição de conduzí-lo bem daqui para frente.

Futuro longe do MCU

Ao contrário do que muitos pensam, a saída do Homem-Aranha do MCU é mais prejudicial para a Marvel do que para a Sony.

A Marvel vai ter que encontrar um jeito de ignorar a presença de Peter Parker em um momento em que ele estava se tornando crucial para seu universo. Em contrapartida, a Sony tem um arsenal de mais de 900 personagens, que podem ser utilizados para interagir com o Homem-Aranha de Tom Holland a partir de agora.

Considerando os eventos de Homem-Aranha: Longe de Casa, o caminho natural era que Peter Parker de fato se afastasse dos Vingadores para lidar com seus próprios problemas – já que agora ele está exposto para o mundo todo – ou seja, está mais facil para a Sony a tarefa de afastar o herói dos eventos do MCU.

Com o sucesso comercial de Venom – apesar das críticas negativas – a Sony também pode investir no tão sonhado crossover entre o anti-herói e o Homem-Aranha, que já poderia ser preparado para Venom 2, que estreia em 2020.

O potencial dos personagens da Sony

Antes da quebra do acordo com a Marvel, a Sony já estava desenvolvendo seu próprio universo de personagens de Homem-Aranha, com planos para produzir filmes como Morbius – que já está sendo feito – Sexteto Sinistro, Gata Negra, Kraven e muitos outros.

Todos esses filmes se sustentam sozinhos, e podem de fato acontecer sem a presença de Peter Parker, mas ter o Homem-Aranha presente nesse universo seria bem enriquecedor para o universo compartilhado que a Sony está tentando construir.

Sim, os fãs perdem muito agora que o Homem-Aranha não pode interagir com heróis como o Pantera Negra e a Capitã Marvel, mas a vantagem pode ser vê-lo enfrentando o Venom, o Carnificina e o Sexteto Sinistro. No fim das contas, a coisa não é tão ruim quanto parece.