Cuidado! Spoilers de Era Uma Vez em Hollywood abaixo!

Quando Era Uma Vez em Hollywood, novo filme de Quentin Tarantino, foi anunciado, muitos esperavam que o longa focasse totalmente nos assassinatos da Família Manson em 1969, dando um destaque especial para Sharon Tate – aqui interpretada por Margot Robbie – que foi uma das principais vítimas dos criminosos. No fim das contas, não foi isso que aconteceu.

Apesar de Era Uma Vez em Hollywood de fato se passar no período já citado, o foco principal foi dado para Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) e Cliff Booth (Brad Pitt), o que deixou a Sharon Tate de Margot Robbie em segundo plano. Esse fato tem incomodado muita gente, e é isso que vamos discutir neste artigo.


O ScreenRant falou sobre toda a polêmica em torno do papel de Margot Robbie em Era Uma Vez em Hollywood.

Entenda a polêmica

A crítica elogiou bastante Era Uma Vez em Hollywood em sua estreia no Festival de Cannes, mas o pouco tempo de tela de Margot Robbie em comparação a seus colegas masculinos gerou polêmica. Tarantino tentou se esquivar de toda a confusão, afirmando que Sharon Tate não aparece tanto no filme justamente porque ele queria mostrar mais de sua vida como atriz, e menos de seu trágico assassinato.

“Achei que seria tocante, triste e melancólico passar pouco tempo com ela, apenas existindo […] Eu queria que vocês vissem muito de Sharon vivendo sua vida e não apenas seguindo uma história, queria ver ela vivendo, sendo quem é”, disse Tarantino sobre Sharon Tate em Era Uma Vez em Hollywood.

No fim das contas, Tarantino não conseguiu escapar da polêmica. Mais uma vez, o diretor foi acusado de ser misógino e de dar destaque apenas para personagens masculinos em seus filmes. O diretor até aumentou o tempo de tela de Margot Robbie em Era Uma Vez em Hollywood, lançando a versão cinematográfica do filme com 2 minutos a mais de Sharon Tate, mas nada foi suficiente para apagar a controvérsia.

Cenas fantásticas

Apesar de não ser a personagem principal do filme, Sharon Tate brilha nos poucos momentos em que aparece. Margot Robbie conseguiu dar à personagem todo o tom necessário, trazendo todo o carisma, charme e otimismo que a atriz demonstrava em 1969, quando sua carreira estava em franca ascensão. A personagem serve como um contraste para Cliff e Rick, que são personagens mais pessimistas e cínicos.

Dentre as cenas incríveis de Sharon Tate em Era Uma Vez em Hollywood, destacam-se a primeira cena em que ela aparece para Rick – e ele se encanta – e o momento em que ela vai a estreia de seu novo filme, Arma Secreta contra Matt Helm, que mostra como a atriz era conhecida na época, mas não o suficiente para ser uma estrela reconhecida em todos os lugares em que frequenta.

Homenagem a Sharon Tate

Ao matar os membros da Família Manson ao invés de matar Sharon Tate em Era Uma Vez em Hollywood, Tarantino faz uma bela homenagem a atriz. Ele usa dessa realidade alternativa – recurso muito utilizado em seus filmes – para “recontar” a história, destacando Tate como uma atriz em ascensão, que ia além de sua aparente beleza e que tinha diversos talentos – e até uma veia cômica.

Quentin Tarantino pode – e deve – ser questionado por ter dado pouco tempo de tela para Sharon Tate/Margot Robbie em Era Uma Vez em Hollywood, mas isso não significa necessariamente que ele foi desrespeitoso com a história da atriz – ele até usou cenas reais dela no filme. De qualquer forma, só o futuro vai dizer como o longa mudou – ou não – a visão que as pessoas tem de Sharon Tate.

Era Uma Vez em Hollywood chega aos cinemas brasileiros no dia 15 de agosto.