Mesmo com o lançamento de sucessos como Stranger Things e Orange is the New Black, 2019 não está sendo um bom ano para a Netflix.

No mês passado, foi divulgada a informação de que a Netflix perdeu algo em torno de 125,000 assinantes este ano, ao contrário das previsões, que diziam que o serviço de streaming ganharia mais 352,000 assinantes no mesmo período.

Essa é a primeira vez desde 2011 que a Netflix perde assinantes, o que fez com que ela também perdesse 10% do seu valor no mercado de ações. Afinal, o que está acontecendo com o maior serviço de streaming do mundo?


Em um artigo, o DigitalSpy falou sobre a grande crise na Netflix.

Perda de conteúdo e concorrência

A verdade é que a Netflix está perdendo assinantes por diversos motivos diferentes. Além do aumento de preço em todos os países, o serviço está perdendo produções de grande importância, como Friends e The Office, que vão migrar para outros serviços de streaming que estão sendo inaugurados agora.

Para se ter uma ideia da dimensão dessa perda, em 2018, The Office e Friends foram as séries mais assistidas da Netflix, contabilizando 52 bilhões e 32 bilhões de minutos assistidos, respectivamente. Além dessas duas séries, outra força na Netflix são os filmes da Disney, que também sairão do catálogo em breve.

A Netflix vem enfrentando concorrentes – como o Hulu e a AmazonPrime – há alguns anos, mas a chegada do Disney+ e do HBO Max promete abalar a empresa como nunca antes, já que esses novos serviços não só prometem trazer conteúdos novos e relevantes, mas também estão “roubando” produções que estavam na Netflix anteriormente.

Será que esse é, portanto, o fim da Netflix? Na verdade, ainda é cedo para decretar isso.

A Netflix segue viva – pelo menos por agora

Para Ted Sarandos, chefe de conteúdo da Netflix, o grande trunfo do serviço de streaming deve ser se estabelecer no mercado como um produtor de qualidade.

“Nós crescemos graças ao investimento inicial que fizemos em programação original, acostumando nossos clientes à ideia de que vamos criar a sua próxima série favorita, e não com a ideia de que vamos dar a eles tudo que eles querem na hora que querem. Acho que encontra-se mais valor em investir nessa ideia do que nos vendermos como um agregador de baixo custo”, disse o executivo em um evento da Netflix.

Portanto, parece que a estratégia da Netflix para se manter no mercado a partir de agora é se vender como um local em que os consumidores vão encontrar produtos novos, inovadores e de qualidade, e não um simples agregador de conteúdos antigos.

Ainda com muitas séries originais de sucesso – como Stranger Things – e inovações tecnológicas – como Black Mirror: Bandersnatch – a tendência é que a Netflix consiga se manter forte no mercado por muito tempo, mesmo com toda a crise.

Ninguém pode pagar por todos os serviços de streaming que existem, e ficar com aquele que já conhecemos pode ser um instinto natural, especialmente quando ele continua oferecendo produtos originais. É aqui que a Netflix pode se tornar irresistível.

A Netflix tem culpa? Entenda a polêmica de 13 Reasons Why! Saiba como a Netflix roubou toda a atenção da D23 Expo 2019 e quantos usuários do streaming compartilham suas senhas e entenda porque a Netflix pode começar a ter propagandas em breve no Observatório de Séries.