A Marvel sempre foi criticada por seus vilões fracos, que sempre ficavam aquém de seus heróis, mas tudo começou a mudar na Fase 3 do MCU, que teve antagonistas fortes como Killmonger, Zemo e Ego. Felizmente, o MCU chegou a outro nível com a introdução de Thanos em Vingadores: Guerra Infinita, que o colocou como o maior vilão da franquia. Até agora.

Talvez isso seja contestável, mas é possível argumentar que Mysterio, o vilão de Homem-Aranha: Longe de Casa, foi ainda melhor representado nas grandes telas do que Thanos. O personagem, interpretado por Jake Gyllenhaal, foi uma das melhores coisas do filme e seu desenvolvimento foi bem além do superficial, atingindo uma camada necessária para que o longa funcionasse de maneira brilhante.

Em um artigo, o ScreenRant argumentou a favor de Mysterio, o único vilão que supera Thanos no MCU.


O papel de Thanos e Mysterio

Thanos e Mysterio possuem papéis bem diferentes no MCU. Introduzido oficialmente em Vingadores: Guerra Infinita, Thanos se coloca como o maior vilão e grande orquestrador dos eventos da franquia, tendo sido responsável por eventos importantes – como a Batalha de Nova York em 2012.

Obcecado pelas Jóias do Infinito, Thanos consegue realizar seu grande sonho em Vingadores: Guerra Infinita, eliminando metade da vida do universo por acreditar que essa seria a melhor maneira de resolver o problema da escassez de recursos.

Em Vingadores: Ultimato, Thanos paga por suas ações, sendo assassinado pelos Vingadores, porém, uma versão mais jovem de Thanos acaba sendo um obstáculo para os heróis novamente, viajando para o futuro para obter as Jóias do Infinito e destruir não só metade, mas a vida no universo como um todo. Felizmente, Thanos é parado por Tony Stark.

Já Quentin Beck/Mystério é um personagem bem menor do que Thanos. Ex-funcionário de Tony Stark, Mysterio cria um plano para se tornar um “herói” aos olhos da população mundial durante os eventos de Homem-Aranha: Longe de Casa.

Especialista em tecnologia, Mysterio e seus aliados criam hologramas sofisticados – que eles chamam de Elementais – para criar uma narrativa em que Mysterio é um herói que combate grandes vilões, colocando ele em uma posição de sucessor do Homem de Ferro.

No fim, o Homem-Aranha acaba vencendo Quentin, que morre no combate final entre os dois, mas Mysterio consegue se vingar do herói mesmo assim, arquitetando um plano que acaba revelando a identidade de Peter Parker para o mundo, além de culpá-lo pelos ataques que ele mesmo realizou.

Subtexto é a chave do sucesso para os dois personagens

Tanto Mysterio quanto Thanos são personagens beneficiados por um subtexto bem escrito. Ambos representam uma espécie de liderança autoritária que está na moda no nosso mundo, ou seja, pessoas que detém um grande poder e que por isso acham que podem guiar o mundo da maneira em que bem entendem.

Thanos quer eliminar metade da vida do universo sem sequer ouvir o que essas pessoas tem a dizer. Para ele, sua opinião é a única que importa e só ele pode salvar a humanidade de um destino cruel.

Mysterio tem ambições menores, mas a lógica por trás dele é bem parecida. Quentin Beck não só manipula a realidade, mas cria uma para si próprio, colocando ela como uma verdade absoluta para os outros. Mestre das Ilusões, Mysterio cria sua própria verdade em Homem-Aranha: Longe de Casa, como ele mesmo diz.

“Eu criei Mysterio para dar ao mundo alguém para acreditar. Eu controlo a verdade, Mysterio é a verdade!”.

‘Longe de Casa’ lida melhor com Mysterio do que ‘Ultimato’ lida com Thanos

A verdade é que a conclusão de Thanos em Vingadores: Ultimato poderia ter sido melhor. Em nenhum momento o filme mostra Thanos confrontando suas ações e as consequências causadas pelo Estalo, ou seja, a história pessoal do vilão sobre seu sonho de vida nunca é de fato concluída pelo mesmo.

A resolução de Mysterio em Homem-Aranha: Longe de Casa é muito mais satisfatória. As ações de Quentin fazem com que o Homem-Aranha dê um passo à frente e amadureça, mas o ponto de Mysterio acaba sendo provado ao final do filme, já que mesmo depois de morto ele consegue manipular a realidade e prejudicar Peter Parker.

Além de gerar consequências severas para o MCU, a conclusão de Homem-Aranha: Longe de Casa encerra o arco de Mysterio de maneira brilhante, mostrando que o vilão se propôs a cumprir seu objetivo mesmo após a morte. É de vilões assim que a Marvel precisa.

Homem-Aranha: Longe de Casa está em exibição nos cinemas.