Atenção! Este artigo contém descrições de violência sexual.

Game of Thrones e Outlander são séries diferentes com muitas características em comum. Ambas trazem um cenário de época, batalhas sangrentas, intrigas políticas e muitas cenas explícitas. Porém, há uma grande diferença na maneira que as séries lidam com o sexo, mais especificamente, a violência sexual.

Nesse sentido, Outlander definitivamente é melhor que Game of Thrones. A série não se esquiva do polêmico tema, mas trata as cenas de estupro e violência com sensibilidade e cuidado. Game of Thrones pecou ao utilizar algo tão sério apenas para desenvolver a trama.


A cena mais controversa de Game of Thrones

Definitivamente, a cena mais controversa e polêmica de Game of Thrones aconteceu no episódio visto até hoje como um dos piores da saga.

“Unbowed, Unbent, Unbroken”, o sexto episódio da quinta temporada, traz o estupro de Sansa. O episódio termina com a “noite de núpcias” de Ramsay com a jovem Stark. Em uma sequência realmente desconfortável e estranha, Ramsay rasga o vestido branco de Sansa e a estupra, enquanto obriga Theon a presenciar a cena.

Logo na época de sua exibição, o momento foi criticado. A série definitivamente não precisava ter mostrado essa cena para demonstrar o quão terrível Ramsay era, ou o quão triste era a vida de Sansa em uma Winterfell dominada pelos Bolton.

Além disso, a decisão dos roteiristas em focar na reação de Theon ao invés do trauma de Sansa deixou muitos fãs frustrados. Em uma cena extremamente triste para a personagem, Sansa não foi colocada como protagonista. Ela apenas foi utilizada como uma ferramenta narrativa, evidenciada pelo rosto do Greyjoy.

A polêmica voltou à tona na temporada final, quando Sansa afirmou que se ela não tivesse sido traumatizada por Ramsay e Lord Baelish, não seria a mulher forte que se tornou.

O uso de um estupro ou outro ato de violência para transformar uma mulher em “forte” ou “interessante” é um clichê utilizado em vários produtos midiáticos, que traz a conclusão que uma personagem feminina não poderia se desenvolver normalmente sem sofrer na mão de homens.

Cenas como essa tiram completamente a independência da personagem, anulam seu desenvolvimento pessoal e são contraprodutivas para uma representação positiva de personagens femininas na TV.

Responsabilidade e sensibilidade

Outlander conta com duas cenas de estupro, e várias outras que fazem referência à violência sexual. A primeira delas acontece quando Jamie Fraser é estuprado por Randall enquanto o vilão o mantinha como prisioneiro.

O episódio final da primeira temporada da série (que foi ao ar semanas depois da infame cena de Sansa em Game of Thrones), conta com flashbacks e a tentativa de Claire de ajudar e consolar Jamie quando ele consegue escapar da prisão. O guerreiro, um exemplo de honra e masculinidade, tem dificuldades para lidar com a violência sofrida.

De várias formas, a cena de Outlander é bem mais explícita do que a de Game of Thrones. A série mostra, além do estupro, a tortura a qual Jamie foi submetido pelas mãos de Randall.

Mesmo com uma cena tão gráfica e pesada, Outlander consegue retratar a violência sexual e seus efeitos de maneira bem mais responsável que Game of Thrones. A diferença não é o gênero da vítima, mas o foco da trama.

Outlander foca completamente em Jamie: suas memórias, seus ferimentos, seu trauma. A cena de Sansa desvia o foco para Theon. Porém, a maior diferença se relaciona com os reflexos do estupro.

A cena acontece em apenas um episódio, mas suas repercussões são sentidas em todo o futuro da série. Jamie demora a conseguir lidar com a violência sofrida, muitas vezes apresentando resistência ao toque, algo que na maioria das vezes não é mostrado na TV. A série Big Little Lies, da HBO, também assume a mesma perspectiva sensível e responsável.

O estupro de Brianna

A outra cena de estupro que acontece em Outlander envolve Brianna, a filha de Jamie. A jovem é violentada em uma situação completamente diferente da de seu pai, e mesmo assim, a série consegue acertar de novo na abordagem ao tema.

O triste momento acontece quando a jovem é arrastada para os fundos de uma taberna por Stephen Bonnet. Os frequentadores do estabelecimento ignoram os gritos de Brianna, e escutam tudo que acontece sem protestar.

Diferentemente da cena com Theon, a mudança de foco não é feita para causar simpatia aos clientes da taberna, mas estabelecer o quão terrível era o acontecimento. Mesmo não mostrando o estupro de maneira gráfica, o foco continua em Brianna, e em como ninguém quis ajudá-la.

Para o futuro

O ponto de fazer essas comparações não é protestar contra a violência sexual na TV. Muito pelo contrário, é extremamente importante que obras culturais possam abordar esse tema e criar um diálogo em torno de algo que acontece com tanta frequência.

Na TV, séries devem seguir o caminho proposto por Outlander, e se desviar da maneira irresponsável que o assunto foi mostrado em Game of Thrones.

O elemento mais importante dessa discussão é: estupro e violência sexual não devem ser utilizados como instrumentos para o desenvolvimento de uma trama. Eles não tornam mulheres “fortes”, e não servem como inspirações para mudanças positivas.

As cenas devem sempre ser focadas na vítima, e não no agressor, trazendo o sofrimento e a tristeza para primeiro plano. Além disso, nudez e aspectos que podem ser vistos como “sexy” por certos espectadores devem ser extremamente evitados.

Saiba mais sobre séries no Observatório de Séries.