Com a chegada de Rambo: Até o Fim nos cinemas, que marca o fim da trajetória do personagem amado de Sylvester Stallone, chegou a hora de relembrar sua trajetória na franquia.

Sobrevivente do Vietnã, Rambo é um personagem extremamente violento e marcado por traumas, representando todo o sentimento americano dos anos 80. Para se adequar aos dias de hoje, o personagem foi mudando ao longo dos anos, mas sua essência conturbada nunca se perdeu.

Em um artigo, o CBR falou sobre a trajetória de John Rambo nos cinemas.


Rambo: Programado para Matar

Baseado no livro First Blood, de 1972, escrito por David Morrell, Rambo: Programado para Matar foi lançado em 1982, com Sylvester Stallone como protagonista.

Diversos atores – como Al Pacino – foram cogitados para o papel de Rambo, mas no fim foi Sylvester Stallone quem triunfou. Interessado em se desvincular da imagem de Rocky Balboa, Stallone exigiu que parte do roteiro de Programado para Matar fosse reescrito por ele – como ele fez com Rocky – dando assim mais liberdade criativa para adaptar o livro.

Diferente do Rambo do livro, o Rambo de Sylvester Stallone acaba sendo um personagem bem mais brando, que usa sim de violência, mas não mata as pessoas de maneira desnecessária – como acontece no livro. Outra coisa que mudou foi a morte de Rambo, que acabou sendo cortada do filme – um final alternativo foi gravado – que incluiu uma cena em que Rambo desaba emocionalmente no lugar.

Rambo: Programado para Matar fez muito sucesso, justamente por falar de questões que interessavam o povo americano na época, discutindo questões de saúde mental e estresse pós-traumático, muito presentes em veteranos de guerra.

Rambo II – A Missão

Se o primeiro Rambo focou no lado traumático do personagem, o segundo, intitulado Rambo II – A Missão, decidiu entrar de vez na ação desenfreada. Com uma história que glorifica a violência, Rambo II mostra o personagem praticamente vencendo a Guerra do Vietnã sozinho – o que realizou o sonho de parte dos americanos, pelo menos nos cinemas.

Rambo 3

Lançado em 1988, Rambo 3 toca na questão da Guerra Fria, quando John Rambo viaja para o Afeganistão para resgatar seu amigo Trautman das mãos dos soviéticos. Embora tenha sido menos criticado que o segundo filme – que foi acusado de passar uma mensagem negativa para as pessoas – Rambo 3 não foi nem de longe o sucesso comercial de seus dois antecessores.

Essa queda de Rambo 3 mostrava um declínio na carreira de Sylvester Stallone, que já não vinha tão bem na franquia Rocky e só voltou a ser elogiado novamente em Rocky Balboa, de 2006.

Rambo IV

Depois de muitos anos em desenvolvimento, Rambo IV chega aos cinemas em 2008. Inspirado pelo conflito de Burma, Sylvester Stallone – que dirige esse filme – decide contar a história de um Rambo semi-aposentado, que resgata missionários inocentes capturados por militares.

A violência gráfica – maior até do que de Rambo II – acabou fazendo com que o longa fracassasse em bilheteria, sendo o pior da franquia nesse quesito até então.

Agora, depois de 11 anos, Rambo: Até o Fim chega aos cinemas para encerrar a história do personagem mais icônico de Sylvester Stallone. Com uma história reciclada – que quase foi utilizada no último filme – o longa já está dividindo os fãs e a crítica especializada. De qualquer forma, é importante ver pela última vez o machucado e bárbaro anti-herói criado por Sylvester Stallone.

Rambo: Até o Fim está em exibição nos cinemas.