Ragnar Lothbrok foi o protagonista de Vikings na maior parte das temporadas da série, e sua ausência causou uma verdadeira lacuna no coração dos fãs. A história do guerreiro nórdico é baseada (com grandes liberdades criativas) na história de um personagem histórico real.

Para maior fluidez narrativa, drama e emoção, vários aspectos da história real de Ragnar foram modificados em Vikings. Mesmo assim, Vikings conseguiu fazer um ótimo trabalho ao apresentar o ícone histórico para um público mais moderno.

Saiba tudo sobre a história real de Ragnar Lothbrok abaixo, e conheça os principais aspectos modificados por Vikings!


Ragnar Lothbrok

Vikings é inspirado nas Sagas Nórdicas, registros escritos que misturavam prosa e poesia na condução das histórias das viagens e batalhas dos guerreiros nórdicos.

O próprio termo “saga”, usado atualmente para obras como O Senhor dos Anéis e Harry Potter, vem da deusa nórdica Sága, que era associada à sabedoria e à produção de histórias sobre um povo.

Ragnar Lothbrok é uma figura proeminente nas Sagas escritas no século XIII, que contavam tanto suas aventuras como descobridor e aventureiro quanto como governante e guerreiro.

De acordo com esses registros históricos, Ragnar era um temido guerreiro e líder nórdico, conhecido principalmente por liderar o Cerco de Paris em 845.

Real ou fictício?

Os Vikings não tinham costume de deixar registros escritos de suas viagens, e a maioria dos relatos da época sobre os guerreiros vinham de outras culturas que coexistiram na mesma época. Dessa forma, é difícil concluir (com certeza absoluta) se Ragnar realmente existiu ou não.

Michael Hirst, o criador de Vikings, chegou à conclusão que Ragnar existiu de verdade após a extensiva pesquisa que fez para a produção da série.

O nome de Ragnar é encontrado em várias sagas e relatos antigos, porém grande parte dos registros não é exatamente confiável. A maioria mistura fatos e mitologia, e uma delas traz até uma história do guerreiro derrotando um dragão.

O consenso principal é que Ragnar Lothbrok na verdade é um amálgama, uma mistura de diversos personagens históricos cujas batalhas e viagens aconteceram mais ou menos na mesma época. Tudo isso com um toque de ficção, para adicionar drama à lenda.

Segundo muitos pesquisadores, a base da história de Ragnar vêm de vários líderes Vikings (alguns deles até aparecem na série).

Entre eles: Reginherus (conhecido pelo Cerco de Paris), Rei Horik I da Dinamarca (que em Vikings é interpretado por Donal Logue), Rei Reginfrid e Ragnal, o Irlandês.

Grandes mudanças

Como já foi dito, aspectos importantes da história do Ragnar “real” foram mudadas em Vikings.

A relação do personagem com Rollo é um ótimo exemplo. Na série, os dois são irmãos e lutam juntos em várias batalhas. Na vida real, Rollo realmente existiu e se tornou o primeiro Duque de Normandia após deixar os nórdicos por uma vida de nobreza onde hoje é a França.

A relação de Ragnar com Lagertha na vida real também é bem diferente. Embora a guerreira realmente tenha sido mencionada na Saga do herói, ela nunca foi uma Earl e também não deu a luz a Bjorn Ironside.

Um registro afirma que Lagertha foi a primeira esposa do herói, porém outras fontes apontam a nobre Thóra Borgarhjǫrtr como companheira de Ragnar.

Assim como na série, Ragnar terminou seu primeiro casamento e desposou a Princesa Aslaug, com quem teve vários filhos.

Athelstan é um personagem completamente fictício. Não existe nenhum registro que conte a história de um monge sequestrado por Vikins na época da série. Floki também é quase inteiramente fictício, porém foi inspirado (levemente) em Floki Vilgerson, o viking que fundou a Islândia.

A temporada final de Vikings estreia em 4 de dezembro.