Muitos personagens desapareceram de Vikings, incluindo o próprio Ragnar Lothbrok. Na terceira temporada, os telespectadores se despediram de um dos membros originais do elenco: Siggy Haraldson, interpretada por Jessalyn Gilsig. A série mistura história com ficção, combinação que provou ser bem-sucedida. O programa está se preparando sua sexta e última temporada, o que certamente trará mais ação e mortes.

Durante suas primeiras temporadas, Vikings acompanhou as aventuras e invasões de Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel) e de seus “irmãos”. Nas temporadas seguintes, os filhos daqueles personagens se tornaram o foco.

Foram muitos rostos ao longo das cinco temporadas, com alguns flutuando entre o bem e o mal. Foi o caso de Siggy Haraldson, viúva de Earl Haraldson. Suas motivações eram muito egoístas, mas ainda assim sua morte foi muito emocionante. Mas por que ela foi morta?


Problemas pessoais

Ao contrário de Ragnar, que o criador de Vikings, Michael Hirst, sempre soube quando ia morrer, a morte de Siggy não foi planejada. Em uma entrevista à EW em 2015, Gilsig revelou que teve problemas familiares no fim da segunda temporada, e morar no exterior fez com que ela sentisse que não fazia o que precisava para sua família.

Hirst concordou em deixá-la abandonar a série, e ambos discutiram o que poderia acontecer com sua personagem. Siggy morreu no quarto episódio da terceira temporada e, ao contrário de muitos outros personagens, não teve uma morte violenta ou sangrenta.

Por que seu fim foi satisfatório

Na terceira temporada, Siggy assumiu as responsabilidades de Aslaug, incluindo cuidar de seus filhos. Um dia, esses filhos fugiram de casa para um lago congelado, com Siggy indo atrás deles.

Ao atravessá-lo, os meninos caíram no gelo fino, levando Siggy a mergulhar e resgatá-los. Com a ajuda de Harbard, Siggy puxou os meninos para fora da água antes de morrer na água fria. Muitas de suas ações foram questionáveis ao longo da série, mas ela morreu como uma heroína.

Como Gilsig ressalta, Siggy era solitária, mais ainda após a morte de sua filha na primeira temporada, e estava muito cega por sua insistência em voltar a uma posição de poder.

Siggy escolheu desistir no lago, impulsionada pela visão de sua filha, após um momento verdadeiramente heroico que, infelizmente, não foi reconhecido por Aslaug. No fim, o arco de Siggy teve um final satisfatório, e Gilsig estava livre para cuidar de seus assuntos pessoais sem deixar pontas soltas em Vikings.