Nesta sexta-feira (6) a Warner Bros trouxe para uma coletiva de imprensa o elenco e equipe de Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa, novo filme que a DC lança no começo do próximo ano. Estiveram presentes as atrizes Margot Robbie, Jurnee Smullett-Bell, Mary Elizabeth Winstead, Rosie Perez, Ella Jay Basco, a diretora Cathy Yan e os produtores Sue Kroll e Bryan Ukeless.

Como este é o primeiro grande filme de super-heróis com elenco e equipe majoritariamente feminino, essa foi a grande questão levantada pela imprensa brasileira, que pesou o dedo nesta tecla do girl power e do feminismo.

“Eu amei interpretar a Arlequina em Esquadrão Suicida, mas eu sentia que ainda havia muito para explorar com ela. E eu estava ansiosa para vê-la interagindo com mais mulheres”, diz Robbie, dando atenção ao fato de ser – ao lado da Katana de Karen Fukuhara – a única mulher no grupo titular do filme de David Ayer.


“Eu não fazia ideia de que a Arlequina seria uma inspiração para tantas pessoas, afinal ela é uma psicopata, estava em um relacionamento tóxico [com o Coringa de Jared Leto]. Então eu senti essa responsabilidade de trazer algo positivo e bom, de que quem assista o filme possa se identificar com a Arlequina de forma positiva”, reforça a atriz.

“De certa forma, esse filme trata de emancipação. Seja ela de um sistema (referindo-se a Renee Montoya e sua intriga no departamento de polícia), de uma pessoa (o Coringa e a Arlequina) ou, no caso da Canário Negro, de nós mesmos”, diz Smullett-Bell, afirmando que o conflito de Dinah Lance no filme é mais interno, com a atriz chamando a atenção para como às vezes muitas mulheres encontram-se perdidas em suas próprias vidas – com elas mesmas no caminho. “Esse filme é uma libertação”, promete.

“Já tivemos muitos anti-heróis masculinos, mas tivemos poucas mulheres nessa categoria”, complementa Winstead ao falar sobre a Caçadora. Ela revela também que ela é a mais violenta do grupo, já que suas ações movem-se como forma de vingar a morte de sua família. “A Cathy ficava gritando pra mim no set: ‘use a sua fúria feminina!’”, brincou a atriz.

Ação estilo John Wick

Por falar em violência, a diretora Cathy Yan foi bem expressiva em relação à sua abordagem com ação. “Eu queria algo bem realista e visceral, capturar essas mulheres incríveis arrebentando e chutando testículos”, anima a cineasta, que tem seu primeiro grande trabalho em Hollywood após o indie Dead Pigs. Ela elogiou bastante a equipe de dublês 87eleven, que atuou nos filmes da franquia John Wick, garantindo que o resultado será impressionante. “Todas elas treinaram por meses uma coreografia bem elaborada, já que gravamos em planos longos. Não eram apenas cenas curtas, estamos falando de tomadas contínuas de 30 segundos até 2 minutos”, diz Yan. Pancadaria picotada certamente não será um problema em Aves de Rapina.

Puxando essa linha, Rosie Perez levantou um ponto interessante. Como a integrante mais velha da equipe, com 55 anos, a intérprete de Renee Montoya falou sobre seu treinamento pesado para as cenas de ação. “No meu primeiro dia de treino, eu estourei meu joelho e fiquei preocupadíssima. O pessoal da 87eleven me ajudou na recuperação, e garantiu que eu continuasse treinando mesmo assim”, diz Perez, que ainda gerou aplausos ao afirmar que “o corpo nunca envelhece, ele só fica mais forte”. Ela ainda animou ao afirmar que o filme “não deixará nada a desejar em relação a filmes de ação protagonizados por homens”, prometendo muita diversão e igualdade.

Robbie também completou ao explicar como a ação do filme tem uma narrativa. “Ao longo da história, vemos o estilo individual de luta de cada uma dessas mulheres. Quando temos as Aves de Rapina reunidas inteiramente, é algo bem diferente. Elas são impossíveis de serem detidas”, garante a intérprete de Arlequina, que também afirmou que o roteiro de Christina Hodson não adapta nenhum quadrinho em específico, mas a atriz revelou que a HQ Behind Blue Eyes foi uma de suas inspirações para tentar entender a personagem.

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa chega aos cinemas brasileiros em 5 de fevereiro de 2020.