A armadura do Homem de Ferro passou por diversas mudanças no MCU, mas o herói interpretado por Robert Downey Jr nunca chegou a ter a sua armadura mais incrível dos quadrinhos da Marvel: A Bleeding Edge.

Com sua morte em Vingadores: Ultimato, é certo que essa versão da armadura não chegará aos cinemas tão cedo, o que no fim das contas é um grande desperdício por parte da Marvel.

Em um artigo, o ScreenRant explicou tudo sobre a Bleeding Edge, uma das melhores – e mais bizarras ao mesmo tempo – armaduras do Homem de Ferro.


Evolução

A Bleeding Edge apareceu pela primeira vez na HQ, “The Invincible Iron Man #25”, escrita por Matt Fraction e Ryan Meinerding. Ao contrário das armaduras externas do Homem de Ferro, a Bleeding Edge é na verdade uma armadura interna.

Utilizando nanotecnologia, o herói inseriu a armadura dentro do seu próprio corpo, o que faz com que a armadura seja ativada por meio dos comandos mentais do Homem de Ferro, se moldando ao redor de sua pele.

Com isso, ele não precisa ter o trabalho de carregar a armadura por aí, já que ela pode ativar de dentro dele quando ele precisar. É uma evolução natural das armaduras do Homem de Ferro, que vão se tornando cada vez mais leves e práticas.

A Bleeding Edge foi uma das armaduras mais poderosas do Homem de Ferro, principalmente por conta de sua capacidade de regeneração avançada.

Mas por que ela não foi incluída no MCU? Bem, há aqueles que acham que essa armadura do Homem de Ferro é bem nojenta, e ela de fato poderia ser complicada de se reproduzir nos cinemas.

Transformar o Homem de Ferro em uma espécie de Homem/Máquina certamente não era uma opção viável do MCU. No fim das contas, é compreensível que ela tenha ficado de fora, mas os fãs mais fanáticos do personagem certamente vão sentir falta.