Muitos super-heróis têm uma trajetória humilde, mas nenhum deles é tão humilde quanto Steve Rogers, o Capitão América.

Antes de receber o soro do super soldado e se transformar no poderoso Capitão América, Steve Rogers era um homem fraco e doente, que não conseguia se juntar ao exército americano para lutar na Segunda Guerra Mundial por conta de suas condições físicas.

Em Capitão América: O Primeiro Vingador (2011), o laudo médico de Steve Rogers mostra como o herói sofre de diversas condições e doenças sérias, que certamente prejudicariam sua vida se ele não tivesse se curado usando o soro do super soldado.


Afinal, se Steve Rogers não tivesse se transformado no Capitão América, por quanto tempo ele teria sobrevivido? O ScreenRant respondeu essa pergunta em um artigo.

Baixa expectativa de vida

De acordo com o laudo médico de Capitão América: O Primeiro Vingador, Steve Rogers tinha problemas de coração, asma, escarlatina, sinusite, entre outras doenças cardíacas e respiratórias.

Todas essas doenças são contornáveis hoje em dia, mas nos anos 40, época em que Steve Rogers vivia, muitas dessas eram fatais. Asma, por exemplo, era uma condição pouco estudada pelos médicos da época, já que muitos achavam que ela tinha um elemento psicológico.

Escarlatina – uma infecção bacterial relacionada a faringe – é algo de simples tratamento hoje, mas no MCU ela seria fatal para o Capitão América, já que ela poderia evoluir para problemas nos rins.

O tratamento mal feito da Escarlatina pode levar a Febre Reumática, que pode afetar o coração, o cérebro e até mesmo a pele. Ou seja, era bem provável que Steve Rogers tivesse desenvolvido todas essas graves doenças em poucos anos, o que certamente reduziria sua expectativa de vida.

Existem alguns elementos do diagnóstico que são falhos e/ou estão conectados a noções da época, mesmo assim, doenças como tuberculose (citada no laudo de Capitão América: Primeiro Vingador) certamente seriam fatais para o jovem Rogers, que poderia morrer em poucos anos.

No fim das contas, é justo dizer que se Steve Rogers não tivesse se transformado no Capitão América, ele muito provavelmente morreria bem antes de se tornar o velho senhor que vimos ao final de Vingadores: Ultimato.