O Homem de Aço é com certeza um filme polêmico. O primeiro longa com Henry Cavill no papel principal dividiu a opinião dos fãs. Alguns, adoraram o estilo maduro e sério de Zack Snyder. Outros, lamentaram a perda dos aspectos mais lúdicos do Superman.

Um dos momentos mais controversos de O Homem de Ferro é exatamente o desfecho. No clímax do filme, Superman é obrigado a escolher entre matar o General Zod e paralisar a destruição de Metropolis ou deixar o vilão vivo e perder inúmeras vidas inocentes.

Superman mostra seu lado mais obscuro e quebra o pescoço do General Zod com facilidade. Alguns fãs aprovaram o momento, outros consideraram o final uma grande “traição” à imagem do herói das HQs.


Originalmente, o desfecho do longa seria bem diferente.

Um final esperado

Segundo Zack Snyder e o roteirista David Goyer, o final oficial de O Homem de Aço foi uma decisão expressa da dupla. Outros envolvidos na produção queriam uma conclusão diferente para a batalha entre o Superman e Zod.

Versões anteriores do roteiro traziam Superman derrotando o General Zod, porém sem matá-lo. O herói pouparia a vida do vilão e o mandaria de volta para o exílio na Zona Fantasma. Esse foi o final defendido por Christopher Nolan, que atuou em O Homem de Aço como produtor.

Goyer e Snyder queriam um final mais impactante, por isso lutaram para a criação de um General Zod mais violento, o que permitiria sua morte no final.