Pânico 2 novamente se concentra em Sidney Prescott (Neve Campbell), mas o assassino erroneamente condenado Cotton Weary (Liev Schreiber) surge como um herói improvável. Um dos primeiros papéis que ajudaram a colocar Schreiber no radar dos espectadores, Cotton só desempenha um papel pequeno em Pânico, mas teve seu papel expandido nas sequências.

Schreiber, vale lembrar, interpretou o vilão da Marvel conhecido como Dentes de Sabre em X-Men Origens: Wolverine, de 2009. Depois, voltou à Marvel em 2018 para dar voz para outro vilão: o Rei do Crime, em Homem-Aranha no Aranhaverso.

Embora Cotton nunca seja realmente apresentado como um cara legal, é meio compreensível que ele não seja exatamente amigável, considerando o que passou.


Como revelado no primeiro Pânico, Cotton foi preso por assassinar a mãe de Sidney, Maureen. Enquanto Cotton confessou ter um caso sexual consensual com a notoriamente promíscua Maureen, ele sempre manteve sua inocência, assim como a intrometida repórter Gale Weathers (Courteney Cox) quando assumiu sua causa, para a ira de Sidney.

Deixando de lado as falhas pessoais de Cotton e Gale, eles estavam absolutamente certos, já que Billy e Stu, os assassinos de Pânico, admitem, depois de revelar suas identidades para Sidney, que propositadamente enquadraram Cotton pelo assassinato selvagem de Maureen, que eles de fato cometeram.

Cotton havia sido condenado à morte e, se a onda de assassinatos de Billy e Stu não terminasse em derrota, é possível que ele tivesse sido executado por algo que não fez. Seria compreensível para Cotton ficar com raiva de Sidney após esse tratamento, mas ele acaba sendo um cara decente, embora seja áspero.

Por que Cotton é o maior herói de Pânico 2

Quando uma nova série de assassinatos começa em Windsor College em Pânico 2, surgem alguns possíveis suspeitos. Um deles é Cotton Weary, que segue para Windsor ao lado de Gale para tentar usar Sidney para voltar aos holofotes.

Embora as intenções de Cotton não sejam exatamente nobres, Sidney poderia ser um pouco mais compreensiva, pois seu testemunho colocou este homem inocente na cadeia por cerca de um ano. Além disso, em defesa de Cotton, Gale o levou a acreditar que Sidney gostava de estar diante das câmeras.

Devido ao comportamento hostil em relação à Sidney por sua recusa em participar de uma entrevista que limparia o nome de Cotton de uma vez por todas, ele rapidamente se tornou o grande suspeito. No entanto, ele não se tornou um dos assassinos de Pânico 2 e, no final, apesar do que Sidney havia feito com ele, escolheu salvar sua vida e atirar em Ghostface.

Em troca, ela elogiou publicamente Cotton como um herói, e seu problema parecia ter sido resolvido. Além do heroísmo de Cotton, quando um novo Ghostface exige que ele revele o paradeiro de Sidney no início de Pânico 3, Cotton se recusa, levando à sua morte.

Cotton Weary não era um homem perfeito. Ele queria fama e fortuna. Mas curiosamente, apesar de ter pinta de mau e ser interpretado por um cara que já viveu dois vilões da Marvel, sempre fez as coisas certas nos momentos certos.