Com uma certa overdose de oferta das produções nos últimos anos, as franquias de super-heróis atualmente são um dos negócios mais lucrativos de Hollywood – e sem aparentemente demonstrar sinais de cansaço junto aos espectadores. Contudo, parecia pouco provável levar a cabo um longa sobre o Homem-Formiga, um dos personagens da Marvel que menos chamava a atenção do grande público, apesar de ser bastante conhecido dos marvettes (como se autointitulam os aficionados desse universo).

Mas o filme – que estreia no dia 16 de julho nos cinemas brasileiros – não só é um dos melhores da atual safra, como traz um pouco de frescor ao gênero, já um pouco saturado dos super-heróis mais tradicionais. Estrelado por Paul Rudd, Homem-Formiga investe na comédia para contar a absurda história deste personagem que salva o mundo comandando um exército de insetos.

Na produção dirigida por Peyton Reed (Separados pelo Casamento), Rudd é Scott Lang, um sujeito de coração grande, que acaba preso por dar um golpe na empresa em que trabalhava para fazer justiça. Ao sair da prisão, ele tem dificuldade para conseguir um emprego. Além disso, sua ex-mulher Maggie (Judy Greer) e o atual marido dela, o policial Paxton (Bobby Cannavale), não querem liberar as visitas à filha, Cassie (a adorável Abby Ryder Fortson).


Para poder pagar a pensão, Lang – um ladrão meio MacGyver – se junta a uns amigos paspalhões para assaltar a mansão do cientista aposentado Hank Pym (Michael Douglas), mas acaba encontrando apenas um traje esquisito. Logo, ele percebe que se trata de uma roupa que permite encolher a pessoa que vesti-la ao tamanho de, bem, uma formiga.

Lang descobre, então, que Pym o havia escolhido para substituí-lo como o herói Homem-Formiga. Com a ajuda da filha do cientista, Hope (Evangeline Lilly), de seus amigos atrapalhados e de um exército de formigas, eles vão tentar impedir que o malvado Darren Cross (Corey Stoll) venda essa tecnologia para as pessoas erradas.

Apesar do tom cômico, a produção é uma bela homenagem ao super-herói, que nos quadrinhos é um dos fundadores originais dos Vingadores. Além disso, todos os elementos de um filme da franquia Marvel estão presentes – as referências ao universo ficcional, uma aparição relâmpago de Stan Lee e a deixa após os créditos para que a história continue.

Para quem achava que Vingadores: Era de Ultron era o melhor filme de super-heróis de 2015, Homem-Formiga pode se tornar uma feliz surpresa. Às vezes, não é preciso tanto exagero para entreter o espectador. Ou, como diz a famosa frase, menos – neste caso, literalmente – é mais.

Homem-Formiga