Por: Anna Carolina Costa

Um dos filmes infantis mais esperados do ano, Minions chega aos cinemas para provar que o trabalho do marketing às vezes é melhor do que o da produção.

O filme é divertido, engraçado, mas no fundo nós conseguimos ver que os personagens que roubaram a cena em Meu Malvado Favorito não tinham tanto conteúdo para preencher a lacuna de um filme inteiro.


É claro que este é um filme infantil, logo ele consegue agradar seu público. As crianças se divertem nas sessões e com as trapalhadas que esses jovenzinhos amarelos, adoradores de banana, aprontam durante o longa.

O filme conta a história do surgimento dos Minions até a busca por um vilão que possa comandar essa trupe. Com suas divertidas trapalhadas, os Minions vão encontrando vilões com o passar dos séculos, desde dinossauros, passando por homens da caverna, até vampiros. Mas sempre acontece algo com esses vilões e os Minions se encontram sem opção.

Até que três amarelinhos se destacam do bando e vão para Orlando, nos Estados Unidos, tentar encontrar um vilão perfeito. É assim que Kelvin, Stuart e Bob saem para uma grande aventura. Lá eles encontram a vilã mais famosa do momento, Scarlet Overkill (voz original de Sandra Bullock e nacional de Adriana Esteves) e conseguem finalmente trabalhar em algo grandioso.

Algo curioso do filme é que os Minions falam um dialeto próprio, logo muitas de suas cenas precisam apelar para o visual para se tornarem engraçadas.

Este é um filme muito bom para assistir e relaxar, sem preocupações. O final do longa chegou a surpreender e animar a plateia para um desfecho muito bom. Mas creio que a figura dos minions em ‘souvenir’ seja mais proveitosa do que nas telas do cinema mundial.

Minions