É fácil de imaginar que em algum momento na vida já ouviu alguém falar algo do tipo – ‘nossa, mas para quê todo este dramalhão, hein?’. Assim como Alfred Hitchcock profetizava que o público gosta de se sentir acuado e apavorado, e por isso, lotava as salas de cinema para assistir obras de suspense e terror, também é possível afirmar que o mesmo vale para aqueles que gostam de ser “torturados” pela tragédia alheia e desolação que acompanha, especialmente se esta vier envolta de um romance improvável ou impossível, que é o caso de A Cinco Passos de Você do estreante na função Justin Baldoni.

O drama romântico teen conta a história de Stella Grant, que aos dezesseis anos de idade não pode levar uma vida como a de suas amigas, devido a uma fibrose cística, uma anomalia genética que afeta principalmente seus pulmões. Desta maneira, a garota vive boa parte de seu tempo dentro de um hospital entre tratamentos e acompanhamento médico. Lá, Stella irá conhecer Will Newman que também sofre da mesma doença. Logo, a amizade se tornará algo mais entre os dois, o que é um problema, pois a doença não permite que fiquem próximos um do outro, por motivos de saúde. Mesmo assim, os jovens tentarão encontrar uma maneira de se aproximar e ratificar este amor.

Pegando carona com o sucesso do longa A Culpa é das Estrelas de 2014, certamente A Cinco Passos de Você conseguirá feito similar. Muda-se as doenças, mas resiste o drama romântico que envolve a batalha diária para se viver mais um dia em uma vida que parece ter estes mesmos contados, na iminência da paixão que se avista na esquina em frente.


Para ter êxito, estes tipos de filme precisam cumprir duas tarefas: um roteiro capaz de acentuar as adversidades e inclemência enfrentadas pelos protagonistas; e um casal de atores dispostos a estabelecer uma conexão incandescente entre si, e que isto também fique palpável para o espectador(a).

Na primeira, apesar de alguns diálogos proféticos e descritivos, é possível atar este laço de empatia com o sofrimento destas personagens. Ainda mais pela perspectiva de Stella, pois a jovem moça que se encontra no alto de sua juventude se mostra vibrante e cheia de energia, especialmente nas cenas onde faz vídeos diários para a internet comentando a sua rotina com esta doença. Tal fator contribui na busca de gerar ou elevar a emoção em momentos mais drásticos e catárticos na obra.

Mas, tanto para Stella quanto para Will foi criada uma boa base na construção destas personagens, e também efetivo tratamento destas. No caso da garota, é de muita sensibilidade como foi apresentado o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) dela com organização e ordem, diretamente relacionado com sua irmã. Já no caso de Will, é convidativo testemunhar os momentos de quebra, ruptura, do garoto quanto maior o convívio com Stella se faz presente. Também é de muita delicadeza a maneira como o longa de Baldoni apresenta a face caricaturista de Will, já que na parte final, seus desenhos ganharão novos contornos, assim como a percepção da personalidade e doçura dele.

Porém, de nada adiantaria tais escolhas azeitadas, sem a dedicação e eletricidade que se fez presente nas cenas entre Stella e Will, interpretados por Haley Lu Richardson e Cole Sprouse, respectivamente. Ela, vista recentemente em Fragmentado de M. Night Shyamalan, consegue dar a volta completa no globo com uma performance tocante, que cumpre bem o trajeto da viagem que vai da confiança altiva até o grau mais frágil de seu íntimo. Ele, muito popular pela série de TV Riverdale, também se sai bem, ainda mais nos sutis momentos de abertura que demonstra em sua relação amorosa no filme.

Certamente, o público-alvo de A Cinco Passos de Você sairá muito satisfeito da sala de cinema ao acender das luzes. Mas, pelo brio apresentado pelos protagonistas, qualquer um pode-se sentir envolvido por esta bela e sofrida história de amor. Não só pelo romance, mas pelo impacto causado em cada um de nós diante de um momento de suspensão, da saída de um lugar emocional para outro, e as transformações ardentes sentidas.

A Cinco Passos de Você diz que se quiser algo a mais, será necessário maior aproximação, passo a passo.