Enquanto surgem as notícias de que a próxima temporada de Stranger Things ainda deve levar um bom tempo até chegar ao Netflix, não é difícil imaginar por que Grite, Você Está Sendo Filmado, um novo programa de pegadinhas apresentado por Gaten Matarazzo, acaba de estrear na plataforma.  

O formato do programa atrai aqueles que gostam de assistir às típicas armações assustadoras que são compartilhadas em redes sociais, hoje em dia. No entanto, também é válido notar que tal formato soa um tanto ultrapassado, e se não fosse pela presença de Gaten (e seu apelo ao enorme público fã de Dustin em Stranger Things), haveria pouco para se apontar como um diferencial que realmente justificasse esta produção. 

O maior e mais interessante diferencial deste formato, na verdade, é a proposta de juntar dois participantes a cada episódio. Enquanto todos as outras pessoas envolvidas são atores, torna-se mais fácil enganar os “alvos” quando estes não estão sozinhos em meio à atuação. Assumindo, é claro, que os participantes realmente não são atores também, um susto natural de outro participante pode ser essencial para a imersão completa da pegadinha.   


Programas de pegadinhas já tiveram épocas bem mais dominantes. O mais famoso talvez seja “Punk´d”, onde o ator Ashton Kutcher seguia uma dinâmica parecida com a de Grite, Você Está Sendo Filmado. A diferença entre as produções, no entanto, é que Kutcher pregava peças em celebridades de Hollywood, enquanto Matarazzo e sua equipe preparam histórias mirabolantes de terror para assustar pessoas comuns que foram atraídas por uma proposta de trabalho. 

A premissa de Grite, Você Está Sendo Filmado sofreu diversas críticas alguns meses atrás, com pessoas se incomodando com a ideia de um programa que tira sarro e se aproveita da busca por emprego de pessoas normais. Agora que o reality show finalmente viu a luz do dia, percebe-se que a proposta não é tão sádica ao ponto de frustrar os participantes com empregos falsos (a maioria acredita que está apenas desempenhando alguma função temporária), e o final de cada episódio sempre procura prezar a atmosfera de descontração pós-susto, com Gaten saindo de seu esconderijo para explicar tudo aos participantes. 

 Ainda assim, todo e qualquer programa de pegadinhas sempre precisa lidar com o fato de que muitas pessoas não se sentem confortáveis com a ideia de serem “vítimas” de uma produção como esta e que tal proposta é irresponsável para com aqueles que nunca tiveram nenhuma intenção de aparecer na TV (ou na internet). E para complementar, é bem provável que um programa como este teria ainda mais audiência, caso os “alvos” das pegadinhas fossem famosos da Netflix (e é justo assumir que a polêmica em volta da produção, portanto, não existiria). 

Mas Grite, Você Está Sendo Filmado não tem apenas a sua suposta falta de sensibilidade como o pior problema por aqui. Durante o primeiro episódio, o programa é vendido como sendo “o mais elaborado” de seu gênero, e embora esta frase possa chamar a atenção do público-alvo, a verdade é que boa parte desta “grande elaboração” está nas histórias criadas para servir de contexto para cada pegadinha, e não necessariamente no valor de produção em si. 

Cada episódio coloca os dois participantes em uma situação mirabolante envolvendo desde um alien que sai de dentro de um astronauta (no melhor estilo “Alien”) até ursinhos de pelúcia possuídos. E diferente das pegadinhas que costumam viralizar nas redes sociais, onde as vítimas são pegas de surpresa por um susto simples no meio do caminho, o programa direciona seus “alvos” em situações que vão progredindo até se tornarem assustadoras com mais interações do que se costuma ver neste formato. 

Toda esta elaboração, no entanto, é uma faca de dois gumes para a proposta. Por um lado, os episódios podem se tornar mais interessantes de assistir, por conta da narrativa construída em volta da pegadinha. Mas por outro lado, isso também torna as situações tão mirabolantes, que alguns espectadores podem se incomodar com a falta de plausibilidade. É claro que não podemos dizer, com certeza, como reagiríamos em uma situação sobrenatural aterrorizante, mas também fica difícil não quebrar qualquer atmosfera de tensão com alienígenas que parecem ter saído de uma ficção científica de baixo orçamento dos anos 50. 

Não há qualquer preocupação com o quão artificiais podem parecer as figuras ameaçadoras do programa, e os ursinhos de pelúcia são só o pior exemplo. É por isso que, com a ameaça do último episódio sendo um homem rico lunático, a situação torna-se um pouco mais crível, por mais absurdo que seja vê-lo se fantasiar de garotinha em sua suposta psicose. Outro ponto positivo do episódio foi colocar Gaten no meio da ação, ao invés de mantê-lo no trailer fazendo basicamente a mesma coisa à cada nova pegadinha. 

O mesmo descaso também acaba ocorrendo com vários diálogos destas situações, onde os participantes precisam ser bem ingênuos para não estranhar uma criança que fala como se estivesse lendo as linhas de um roteiro (“Não dá pra chamar a emergência com uma história dessas!”), ou a quantidade de exposição escancarada que precisa ser dita pelos personagens para contextualizar o terror da vez. É claro que nunca podemos esperar que os atores de um programa de pegadinhas sejam completamente infalíveis em suas interpretações, mas quando se idealizam cenas tão absurdas para serem interpretadas, qualquer um teria dificuldade em não soar caricato (o cirurgião plástico do terceiro episódio, no entanto, se destaca com este problema). 

Grite, Você Está Sendo Filmado não consegue criar atmosferas críveis para suas histórias malucas de terror, e seus melhores momentos acabam sendo quando Gaten decide interagir com os participantes. O formato provavelmente teria sido melhor aproveitado como um conteúdo para o canal de youtube da Netflix (quem sabe durante a divulgação da próxima temporada de Stranger Things?), do que como um programa que realmente vale o tempo do espectador dentro do acervo da plataforma.  Mas caso você esteja com saudade de Dustin, e goste de ver pessoas pulando de susto avistando o Pé-Grande dentro de uma floresta, os breves episódios de vinte minutos devem dar conta do recado.