Morre Edith Windsor, ativista LGBT que ganhou caso histórico pelo casamento gay nos EUA; famosos reagem

Edith Windsor

Edith Windsor, ativista LGBT que ficou conhecida como a principal representante do caso Estados Unidos vs. Windsor, julgado em 2011 e instrumental para a aprovação do casamento gay quatro anos mais tarde no país, faleceu nessa terça-feira (12), aos 88 anos.

A informação foi liberada pelo advogado pessoal de Windsor, Robbie Caplan, ao Buzzfeed News. Windsor entrou na justiça em 2009 após não conseguir ter acesso a herança deixada para ela por sua falecida esposa, Thea Spyer, com quem tinha se casado dois anos antes no Canadá.

Celebridades imediatamente se mobilizaram para dizer adeus à ativista. “Edie – lenda, heroína, amiga – obrigado, a você e a Thea”, escreveu a atriz (e ativista LGBT) Rosie O’Donnell.

“Ano passado, Rhea [Butler] e eu tivemos a chance de conhecer Edith em um evento. Eu fiquei em casa para que minha esposa pudesse ir. É isso que esposas fazem. Nós não poderíamos ser esposas se não fosse por Edith”, escreveu a comediante Cameron Esposito.

“Muito triste por ouvir sobre a morte de Edith Windsor. O nosso mundo está melhor por que ela viveu. Mantendo sua esposa Judith, sua família e amigos nos meus pensamentos”, escreveu Chelsea Clinton.

“Descanse em paz, Edith Windsor. Seremos gratos a você pelo resto de nossas vidas”, homenageou o apresentador Andy Cohen.