A organização não-governamental DoSomething elaborou sua tradicional lista de fim de ano listando as celebridades que mais contribuíram com a caridade em 2017.

O vencedor do ano foi Chance the Rapper, o músico de hip-hop, que concentrou suas ações na melhora da educação pública na sua cidade natal, Chicago (EUA).

Outras celebridades bem colocadas no top 20 do DoSomething são Ariana Grande (3º), com sua organização One Love Manchester, fundada após o ataque terrorista em seu show na cidade britânica; já Rihanna (4º) doou para várias caridades e fundou a linha de maquiagem Fenty Beauty, que inclui produtos para todos os tons de pele.


Beyoncé (5º) usou sua fundação BeyGood para ajudar vítimas do furacão Harvey, nos EUA, e fez parceria com a UNICEF para levar água potável para a população do Burundi; Kesha (7º) foi lembrada por sua batalha judicial contra Dr. Luke, sublinhando a questão do abuso sexual, e conseguintes doações a organizações de caridade relacionadas ao problema.

Zendaya (9º) mobilizou fãs no seu aniversário, 1º de setembro, para doarem a uma fundação de ajuda a vítimas do furacão Harvey como “presente” para ela; Nicki Minaj (11º) escolheu dezenas de seus fãs no Twitter e quitou a dívida universitária de cada um deles.

Jennifer Lopez (14º) ajudou vítimas do Furacão Maria, que arrasou Porto Rico, onde uma parte de sua família ainda vive; Demi Lovato (16º) foi reconhecida por seu trabalho com organizações que promovem a luta contra doenças mentais; Ava Duvernay (17º) trabalhou com a organização ARRAY para produzir um documentário, Teach Us All, sobre o sistema de educação pública nos EUA.

Miley Cyrus (19º) e Bruno Mars (20º) fecham o top 20 por seus trabalhos com a população LGBT e com populações afetadas pela crise de água de Flint, nos EUA, respectivamente.

“Larissa Manoela é uma mini-Beyoncé”, dispara Ingrid Guimarães