Diversas atrizes, produtoras, diretoras e escritoras de Hollywood, incluindo Reese Whiterspoon, Shonda Rimes e Eva Longoria, decidiram tomar uma maior atitude ao abuso sexual contra as mulheres na indústria.

As mulheres lançaram nesse primeiro dia de 2018, uma iniciativa que ajuda a lutar contra um sistêmico abuso sexual dentro de Hollywood e além. A iniciativa conta com mais de 300 pessoas. Chamado de “Time’s Up Now” – “O Tempo Acabou”, em tradução ao pé da letra -, o movimento foi anunciado em uma carta aberta, assinada por diversas mulheres de Hollywood.

“A luta diária por mulheres quebrarem o silêncio e se erguerem para simplesmente serem ouvidas e reconhecerem que a dominação masculina em ambientes de trabalho precisa terminar; acabou o tempo desse monopólio impenetrável”, a carta segue dessa forma, em leitura feita pelo jornal The New York Times.


A iniciativa possui um fundo de 13 milhões de dólares em doações para ajudar mulheres menos privilegiadas, uma missão que pretende abordar questões de gênero em estúdios e agências de talento, legalizar punições para companhias que toleram esse comportamento e convidar para que as mulheres falem sobre os casos no tapete vermelho no Globo de Ouro.

“Esse é um momento de solidariedade, não um momento fashion. Uma grande maioria de mulheres que foram contatadas e que planejam ir à cerimônia, decidiram participar”, contou a atriz Eva Longoria ao jornal The New York Times.

Longoria continuou: “Por anos, nós vendemos esses prêmios enquanto mulheres, com nossas cores e vestidos e nossos belos rostos, nosso glamour. Agora, a indústria não pode esperar que nós giramos lá. Não é sobre isso esse momento”.

Outros membros da iniciativa são Ashley Judd, Natalie Portman, Emma Stone, dentre outras.

Em entrevista ao mesmo jornal, Whiterspoon disse: “Fomos distanciadas uma da outra. Nós finalmente estamos ouvindo umas às outras, e vendo umas às outras, e agora, fechando parcerias em solidariedade uma com a outra e essa solidariedade com cada mulher que não se sente vista, para finalmente ser vista, ouvida”.

Diversos casos surgiram recentemente de abuso sexual praticado por homens em Hollywood, especialmente pelo ex-produtor Harvey Weinstein.