Donald Trump contou com a ajuda de um tablóide para encobrir o seu caso extramarital com uma coelhinha da Playboy chamada Karen McDougal, de acordo com a própria em entrevista ao The New Yorker.

A matéria-bomba é assinada por Ronan Farrow, filho da atriz Mia Farrow e repórter que expôs algumas das primeiras denúncias de assédio sexual contra o produtor Harvey Weinstein no mesmo veículo.

Jay-Z critica Donald Trump e o presidente o ataca

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O The New Yorker obteve as informações de uma carta enviada por McDougal a uma amiga, que se manteve anônima. A própria coelhinha da Playboy então deu entrevista para Farrow confirmando que se tratava de sua caligrafia na carta e atestando a vericidade do relato.

Segundo a matéria de Farrow, o relacionamento próximo entre Trump e a empresa American Media, que é dona do tabloide National Enquirer foi instrumental para que notícias do affair não vazassem durante as eleições. O Enquirer teria pago US$ 150 mil a McDougal pela exclusividade da história sobre seu caso com Trump, mesmo sem a intenção de publicá-la.

O presidente Trump, que era e ainda é casado com a ex-modelo Melania Trump, negou as informações da matéria através da assessoria da imprensa da Casa Branca, usando um de seus termos favoritos: “fake news” (“notícias falsas”).

Deixe o seu comentário