Dave Itzkoff está prestes a lançar Robin, a biografia mais completa do falecido comediante Robin Williams a já chegar nas prateleiras, e o Vulture listou algumas das histórias mais loucas e chocantes do livro.

Robin Williams sofria de desordem cerebral antes de cometer suicídio

Confira:

  • Muito antes de optar pela comédia, Williams quase foi um homem de negócios respeitável. Ele foi um aluno exemplar na Detroit Contry Day School, e costumava usar terno e carregar uma maleta bem profissional. Os planos para o futuro incluíam ir para uma faculdade respeitável como Harvard, para estudar administração – mas tudo mudou quando o pai de Robin conseguiu um emprego em San Francisco.
  • Como já havia sido revelado em trechos lançados anteriormente, o set de Mork & Mindy (1978-1982) abrigou o comportamento mais inapropriado de um jovem Williams, que apalpava colegas de elenco e andava nu pelo set. Hoje em dia, com certeza nada disso seria aceitável.
  • No set de Tempo de Despertar (1990), um dos primeiros dramas “sérios” da carreira de Williams, o ator se empolgou em um take de sua briga com o personagem de Robert De Niro e acertou um soco na cara do colega, quebrando seu nariz. De Niro não levou a mal, e até brincou com o incidente em entrevista para o livro: “Meu nariz havia sido quebrado outra vez antes, e ele o ‘desentortou’ ao quebrar de novo!”.
  • Já o set de O Pescador de Ilusões (1991) foi cenário de uma história mais deprimente – conforme conta o colega de elenco Jeff Bridges, ele e Williams estavam saindo de um dia exaustivo de trabalho quando “um grupo de uns 20 pombos voou acima de nossas cabeças e, simultaneamente, fizeram cocô em cima de nós”. “Foi a única vez que eu vi Robin sem palavras, sem nenhuma piada para fazer”, contou o ator.
  • A amizade de Williams com Christopher Reeve, o eterno Superman, não é novidade para os fãs do ator – mas, mesmo assim, é uma das histórias mais tocantes do livro. Pouco após o acidente que o deixou paralisado, Reeve recebeu a visita de Williams no hospital – mas não da forma convencional. O comediante entrou no quarto do seu amigo fingindo ser médico, com um jaleco roubado, e fez ele rir pela primeira vez desde a cirurgia.
  • O diretor Terry Gilliam, que comandou Williams em As Aventuras do Barão de Munchausen (1988), relembra uma noite de trabalho em que o comediante criou um personagem sulista que “fingia ser muito gentil, mas era provavelmente um serial killer“. O engraçadíssimo personagem foi inventado na hora para divertir a equipe entre takes, e nunca mais foi repetido pelo comediante.

LEAVE A REPLY