A cantora Mariah Carey se sentou para uma entrevista longa com o The Guardian que abordou diversos assuntos de sua vida pessoal, como a recém-revelada bipolaridade e os casamentos desmanchados.

“Meu primeiro casamento, com Tommy [Mottola, executivo da Sony] foi um relacionamento muito controlador, um pouco abusivo”, confessou ela. “Consigo ver isso hoje. Consigo ver como me senti livre quando nos separamos [em 1997]”.

Mariah Carey vende aliança de noivado dada a ela pelo seu ex-namorado


“Era um relacionamento complicado de qualquer forma, porque envolvia negócios e amor ao mesmo tempo. Sem isso, eu me senti livre para fazer músicas da forma como eu queria, e eu acho que minha carreira refletiu isso”, continuou.

Carey ainda se abriu sobre o preconceito que sofreu por ter um pai negro e uma mãe branca. “Mamãe foi a primeira cantora de ópera clássica a se casar com um homem negro, não foi fácil para ela”, disse.

“Eu me lembro de trazer uma amiga para casa, e ela nunca tinha visto alguém negro antes! Foi constrangedor”, contou ainda. “Com o passar do tempo, percebi que eu também tinha um visual diferente e foi difícil encontrar a minha identidade”.

Carey recentemente anunciou sua segunda residência em Las Vegas – saiba mais.