Stan Lee

O Departamento de Polícia de Los Angeles está investigando alegações de que Stan Lee é vítima de abusos, de acordo com um pedido de medida cautelar apresentado nesta quarta-feira (13).

Um juiz concedeu a ordem até uma audiência em julho. A ordem bloqueia Keya Morgan, uma colecionadora de memorabilia que atua como gerente de Lee, de entrar em contato com Lee ou chegar a 100 jardas dele.

O pedido foi apresentado por Tom Lallas, um advogado que representou Lee até que ele foi demitido em fevereiro. Lallas acusa Morgan de isolar Lee e colocar seu bem-estar em risco.

“Ele foi negado o contato com familiares e outras pessoas que ele conheceu e confiou ao longo dos anos”, argumenta Lallas. “Sr. Morgan transferiu o Sr. Lee da casa de sua família para um ambiente desconhecido sem notificar os parentes de seu paradeiro.”

Segundo o documento, a polícia e os serviços de proteção foram chamados à casa de Lee em 30 de maio. Morgan chegou enquanto os detetives estavam lá, e fez uma ligação para o 911 alegando que três indivíduos não identificados invadiram a casa.

O documento alega que Morgan fez um segundo relatório falso para 911 no mesmo dia, acusando um segurança de agressão com uma arma mortal. Morgan foi preso na segunda-feira por suspeita de fazer um falso relatório policial, e deve ser julgado em 2 de julho.

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: CINEMA | FAMOSOS | MÚSICA