Jean-Claude Van Damme recebeu inúmeras críticas pela entrevista que deu ao programa On n est pas Couché. Nele, o ator debatia com a ministra da Igualdade entre Mulheres e Homens da França, Marlène Schiappa. De acordo com várias pessoas, ele foi machista e homofóbico em suas declarações.

“Você é uma mulher e eu sou um homem. Há mulheres que gostam de trabalhar, como você, e que sabem ao mesmo tempo cuidar de seus filhos. Há mulheres que gostam de ficar em casa para cuidar das crianças. Mas se todas as mulheres trabalhassem, quem ficaria com os pequenos em casa? É preciso seguir seu movimento sem impor a outras mulheres aquilo que você ama fazer”, disse Van Damme que ainda acrescentou que é o homem o responsável por arcar as despesas da família.

Black Water | Van Damme e Dolph Lundgren se reúnem em filme de ação; veja trailer

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Marlène Schiappa também reclamou do “mansplaining” sofrido, termo que significa a interrupção de um homem para explicar a uma mulher algo que ela sabe. A ministra também o questionou sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo e ficou surpresa com a resposta que ouviu.

“Os homems se casam, as mulheres se casam, os cachorros se casam… Todo mundo se casa e todo mundo se divorcia!”, disse ele. A resposta de Schiappa veio logo em seguida: “Precisamos apoiá-las em vez de ridicularizá-las dizendo que são como cachorros”.

Ontem, Van Damme voltou a dar entrevista, desta vez para o Morandini Live, quando se defendeu dizendo ter sido mal interpretado.

“A gente não pode mais se divertir na televisão (…) Eu não tenho nada contra os homossexuais, nem contra as mulheres, nem contra os cachorros. A vida é bela, tudo é impecável. Todos esses rumores são coisas inventadas pela televisão”, falou com um cão em seus braços.