A atriz Laverne Cox, conhecida por Orange is the New Black, revelou nesta segunda-feira (13) via Twitter que já pensou em tirar a própria vida. A famosa, que é transgênero, expôs também a relação do preconceito com os pensamentos que teve.

Revoltada e entristecida com casos de assassinatos de transgêneros nos Estados Unidos, Laverne Cox confessou como já sofreu por conta do preconceito. Não apenas isso, contou a todos como realmente se sentia.

“Muitos anos atrás eu estava cogitando suicídio, eu estava planejando colocar um bilhete no meu bolso na hora da morte e outros tantos espalhados pela casa para indicar por qual nome iriam se referir a mim, preferência dos pronomes de gênero e que eu gostaria de ser lembrada como uma mulher na hora da morte”, começou a contar a atriz de Orange is the New Black.

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Laverne Cox confessou que pensava nisso porque seria um “último insulto” da sociedade contra ela se colocassem seu nome de nascimento em veículos de comunicação. Esse inversão na identificação por outras pessoas é chamada de deadnaming – expressão utilizada pela atriz.

Orange is the New Black | Atriz não sabe se relacionamento de Alex e Piper irá sobreviver

“Ter meu gênero trocado na minha morte seria o último insulto para minhas feridas psicológicos e emocionais que eu tive diariamente ao ser uma mulher trans negra em Nova York, feridas que me fizeram querer tirar a minha vida”, revelou a famosa.

Em sua postagem, Laverne Cox ainda explicou o motivo de não estar mais denunciando o assassinato de transgêneros em suas redes sociais. A atriz diz que os casos estão a “traumatizando” outra vez. Mesmo assim, a artista cobrou justiça na publicação.

“Estou irritada, entristecida e irada com policiais de Jacksonville, Flórida e outras jurisdições que não contam com policiais respeitando a identidade de gênero das pessoas trans quando elas são assassinadas. A identificação invertida impede investigações nestes casos. Injustiça no topo da injustiça!”, disparou Laverne Cox.