A promotoria de Manhattan abandonou parte do processo criminal contra Harvey Weinstein. O juiz ressponsável desconsiderou as alegações feitas por uma das três acusadoras de Weinsteiin, Lucia Evans, após ter sido encontrado uma evidência de que a relação sexual entre os dois foi consensual.

Evans havia acusado Weinstein, através de matéria publicada no The New Yorker, de força-la a realizar sexo oral nele durante uma reunião em seu escritório, em 2004.

Harvey Weinstein está sendo processado por ter feito empréstimo de US$ 45 milhões

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Duas outras acusações continuam no caso contra Harvey Weinstein em Nova York – uma de que ele teria estuprado uma mulher em 2013 e outra forçou sexo com uma diferente mulher em 2006.

Weinstein nega as acusações e declara-se inocente.

O advogado do produtor, Benjamin Brafman, disse no tribunal que acredita que Evans mentiu ao júri sobre o que aconteceu.