O diretor francês Luc Besson, conhecido por O Profissional (1994) e Lucy (2014), está vendo as denúncias envolvendo o seu nome aumentarem.

Nesta quarta-feira (28), mais cinco mulheres acusaram o diretor de abuso e assédio sexual. No total, nove vítimas já fizeram alegações contra o cineasta francês.

Os últimos casos foram revelados pelo site Mediapart. A publicação aponta que uma antiga assistente de Luc Besson foi coagida e chantageada para ter relações sexuais com o diretor. A mulher, que preferiu não revelar o nome, relatou três encontros sexuais e assédio durante o trabalho.


Em falência, produtora de Luc Besson venderá catálogo raro de filmes

A acusação foi confirmada ao site por pessoas que trabalharam com o diretor. Além disso, a assistente também forneceu a agenda de Luc Besson e um recado anotado em um papel de um hotel em Paris, assinado pelo acusado.

Outras dois casos, revelados pelo mesmo site, são de duas estudantes de Luc Besson da Cite du Cinema. Ambas teriam afirmado que o diretor as assediou durante as aulas. Enquanto isso, outra funcionária da produtora Eurocorp, do cineasta, garante que o acusado teve má conduta sexual na empresa.

Além disso, a produtora de teatro Karine Isambert relembrou um encontro constrangedor que aconteceu em 1995. Durante uma seleção com o diretor, a mulher foi apalpada pelo acusado. O Mediapart ainda garante que Luc Besson frequentemente fazia seleções em quartos de hotel, como Harvey Weinstein, e que o site teria obtido o vídeo de um teste do cineasta francês com uma garota de 16 anos.

No momento, Luc Besson é investigado por três acusações de crimes sexuais, sendo uma delas, de estupro, pela polícia francesa. As autoridades ainda não se pronunciaram sobre os novos casos.