Harvey Weinstein, produtor e chefe da Miramax, foi acusado de assédio sexual e abuso por várias atrizes da indústria Hollywoodiana, incluindo nomes como Lena Headey, Rose McGowan e Gwyneth Paltrow.

Gwyneth Paltrow anuncia que não viverá mais Pepper Potts no Universo Cinematográfico da Marvel

A atriz de Pepper Pots, que anunciou nesta terça-feira, dia 19, sua aposentadoria da personagem no Universo da Marvel, também aproveitou para falar com exclusividade para a revista Variety sobre sua relação com Weinstein, que produziu os filmes Emma e Shakespeare Apaixonado, este garantindo o Oscar de Melhor Atriz para Paltrow.


Sobre Harvey Weinstein, Gwynteh esclarece: “Ele era um valentão. Eu nunca tive problema em me defender dele. E eu não tinha medo dele. Eu também senti, por muito tempo, que era o rosto da Miramax, e senti que era minha obrigação dar um basta nele. Brigávamos muito.”

Em Shakespeare Apaixonado, por exemplo, a atriz relembra que que o clima no set de filmagens era tenso: “Ele era um patrão bem difícil. Era um relacionamento frágil. Nós nos metíamos em brigas intensas. Eu lembro que uma vez a minha mãe [Blythe Danner] entrou na sala e eu estava gritando com ele. Ela perguntou: ‘Quem é no telefone?’ e quando eu disse quem era, ela respondeu: ‘Bom, para você. Você precisa se defender.'”

Por fim, Paltrow também conta por que decidiu contar sua história com Weinstein: “Era a coisa certa a se fazer, porque todos os sistemas até então engoliam e cuspiam as mulheres que falavam alguma coisa. Eu senti que agora tinha acabado, isso acaba agora. Nós não vamos fazer mais isso, pessoas não podem fazer mais isso.”