Lori Loughlin foi pega na última semana em um esquema criminoso de compra de vagas em universidades norte-americanas. A intenção da atriz era conseguir um lugar, de maneira fácil, para as duas filhas, Olivia Jade e Isabella.

Já ao final desta semana, fãs relembraram uma entrevista da famosa no Christian Broadcasting Network. Lori Loughlin se define como “moralmente correta” e ainda diz que nunca faria nada que pudesse constranger as suas filhas.

“Quando eu tivesse filhos, sempre pensei, não quero fazer nada que um dia possa criar constrangimento e meus filhos tenham que pagar o preço disso”, declara a famosa, na entrevista.


Em um outro trecho, Lori Loughlin liga o sucesso de Três É Demais com o seu modo de vida. No seriado, a atriz viveu a Tia Becky.

“Há uma mensagem em cada episódio: como ser uma boa pessoa, como ser uma pessoa melhor. É uma boa mensagem”, afirma a atriz.

Filha de Lori Loughlin culpa os pais pelo escândalo: “Arruinaram tudo”

Felicity Huffman é outra famosa envolvida no esquema. Ambas serão julgadas pela justiça norte-americana.

Documentos descobertos pela mídia mostram que as suspeitas foram presas sob acusações de terem pago subornos de até US$ 6 milhões para colocar seus filhos em algumas das melhores universidades dos Estados Unidos, como Yale, Stanford e outras.

Dentro do esquema, os filhos das investigadas foram inscritos nas universidades como atletas recrutados, muito embora não tivessem capacidades atléticas de fato.

Dezenas de treinadores da divisão de futebol americano universitário também estão sendo investigados por sua participação no esquema.