Ian McKellen, conhecido por ser no cinema o Magneto original da franquia X-Men, voltou atrás após comentar os casos do diretor Bryan Singer e de Kevin Spacey, que enfrentam acusações por abuso sexual, inclusive de menores. Uma nota foi compartilhada no Twitter na noite de sábado (2).

Enquanto aparecia em um evento do National Student Pride na Inglaterra, no último final de semana, perguntaram a McKellen o que ele achava das acusações de má conduta sexual contra Bryan Singer e seu colaborador Kevin Spacey.

“Ambos estavam no armário e, portanto, todos os seus problemas como pessoas e seu relacionamento com outras pessoas estavam presos com eles”, observou Ian McKellen. “Se eles pudessem ser abertos sobre si mesmos e sobre seus desejos, eles não teriam começado a abusar das pessoas da maneira que foram acusados”, concluiu o ator.


Em comunicado, o ator de 79 anos disse que estava “errado” com os seus comentários.

Ian McKellen, o Magneto, comenta sobre acusações de abuso sexual contra Bryan Singer, diretor de X-Men

“Sugeri que, se pessoas no armário estivessem abertas sobre sua sexualidade, elas não abusariam de outras pessoas. Isso, claro, está errado. Minha intenção era incentivar o público LGBT a quem eu estava me dirigindo, a se sentir orgulhoso e aberto sobre sua sexualidade. Ao fazê-lo, o meu ponto de vista foi desajeitadamente expressado. Eu nunca banalizaria ou toleraria qualquer tipo de abuso”, destacou Ian McKellen.

O veterano da indústria ainda foi claro quanto a sua posição sobre os acusados. Ian McKellen prefere deixar a justiça trabalhar.

“Quando se trata de abuso por pessoas em posições de poder, a resposta é clara. Os acusadores devem ser ouvidos e o acusado deve ter a oportunidade de limpar seu nome. Se as acusações se mostrarem comprovadas, o acesso do usuário ao poder deve ser removido”, completou o ator.

Além de X-MenIan McKellen também trabalhou com Bryan Singer no drama/suspense O Aprendiz, de 1998.