Lori Loughlin, de Três É Demais, e o marido, o empresário Mossimo Giannulli, têm mais uma acusação para responder no caso de suborno para compras de vagas em universidades norte-americanas. Nesta terça (9), o casal apareceu em uma lista de acusados por esquema de lavagem de dinheiro.

De acordo com autoridades norte-americanas, os dois fazem parte de um grupo de 16 pais que também cometeram o crime. Antes, Lori Loughlin e o marido foram acusados de comprar vagas na USC para as duas filhas, Isabela e Jade, por US$ 500 mil.

Com a nova acusação, a atriz de Três É Demais pode pegar até 20 anos de prisão. Além disso, pode ser multada em até US$ 1 milhão por conta dos crimes.


A nova revelação vem um dia depois de Felicity Huffman e outros 13 acusados aceitarem um acordo pelo crime de suborno. A famosa chegou até a emitir um comunicado se declarando culpada.

O caso passa por documentos descobertos pela mídia, que mostram que as suspeitas foram presas sob acusações de terem pago subornos de até US$ 6 milhões para colocar seus filhos em algumas das melhores universidades dos Estados Unidos, como Yale, Stanford e outras.

Dentro do esquema, os filhos das investigadas foram inscritos nas universidades como atletas recrutados, muito embora não tivessem capacidades atléticas de fato.

Dezenas de treinadores da divisão de futebol americano universitário também estão sendo investigados por sua participação no esquema.

É esperado que os julgamentos comecem nas próximas semanas.