A polêmica envolvendo Johnny Depp e Amber Heard ganha um novo capítulo. A revista People obteve documentos com acusações do ator contra a estrela de Aquaman.

O ator processa Amber Heard por difamação, devido a um artigo escrito no The Washington Post. Mas, não é apenas isso. Johnny Depp pede US$ 50 milhões de indenização também por “abuso”.

Johnny Depp garante em depoimento que nunca agrediu Amber Heard. Por outro lado, em outras ocasiões, a atriz contou que quase foi morta pelo ator.


“Eu tenho negado as acusações desde maio de 2016, quando ela entrou no tribunal para conseguir uma ordem de restrição com machucados desenhados, que testemunhas e câmeras de segurança mostraram que ela não tinha em nenhum dos dias daquela semana. Eu vou negá-las pelo resto da minha vida. Nunca abusei da Senhorita Heard e nenhuma outra mulher”, declara o ator.

Os dois se casaram em 2015, mas iniciaram a separação um ano depois. Amber Heard alega desde então que foi abusada fisicamente e psicologicamente pelo ex-marido. O ator diz novamente que essa não é a situação.

“Ela é a criminosa e eu sou a vítima. Enquanto misturava anfetaminas prescritas e drogas com álcool, a Senhorita Heard cometia inúmeros atos de violência doméstica, frequentemente com a presença de uma testemunha e em algumas ocasiões me causou sérios ferimentos”, acusa o ator.

O divórcio do ex-casal foi anunciado em 2017. Na época, um comunicado dizia que os dois nunca presenciaram casos de violência doméstica.

Porém, no ano passado, Amber Heard escreveu um artigo alegando ter sido vítima do crime. Esse texto reacendeu a polêmica e os dois voltam a uma disputa jurídica.