A Netflix trouxe uma nova era para os fãs do entretenimento. Mas, há quem passe do limite com as inovações da modernidade.

É isso que alega a produtora Canal Productions, de Robert De Niro, sobre uma ex-funcionária. Chase Robinson é processada por ter maratonado na Netflix quando deveria estar trabalhado. Uma das séries preferidas dela é Friends.

A companhia afirma no processo que a profissional quase não aparecia no escritório e “gastava uma quantidade astronômica” de horas assistindo Netflix durante o trabalho. A produtora alega que em janeiro, Robinson assistiu 55 episódios de Friends em quatro dias.


Não apenas isso, a mulher assistiu a 20 capítulos de Arrested Development em um outro período de quatro dias em março. Nos mesmos dias, também aproveitou para conferir Schitt’s Creek.

“Ver séries na Netflix não estava entre as tarefas e responsabilidades do trabalho de Robinson, que fez para entretenimento pessoal, diversão e prazer nas horas que estava sendo paga para trabalhar”, afirma o processo.

A ação na justiça ainda afirma que a ex-funcionária fazia uso indevido do dinheiro da produtora com hotéis, restaurantes e viagens. Em dois anos, a mulher deu despesas de mais de US$ 20 mil em restaurantes e US$ 32 mil para transporte, além de usar as milhas aéreas fornecidas por Robert De Niro de forma inadequada.

Robinson estava desde 2008 trabalhando na produtora do astro. A ex-funcionária chegou a ser vice-presidente de produção e financiamento. A profissional foi demitida em abril deste ano.

De acordo com a Variety, a produtora pede uma indenização de US$ 6 milhões por conta dos prejuízos deixados pela ex-funcionária.